Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Grécia é eliminada, Espanha passa às quartas-de-final

O sueco Ibrahimovic marcou um gol para a Suécia, que ainda tem chances de passar às quartas-de-final.

(Keystone)

A Rússia derrotou a Grécia, atual campeã européia, por 1 a 0 em Salzburgo. Com esse resultado, os gregos se despedem do torneio sem ter marcado um único gol.

No outro jogo do Grupo D, a Espanha derrotou a Suécia por 2 a 1 e se classificou para as quartas-de-final. A Rússia e a Suécia disputam a segunda vaga do grupo.

Os técnicos reagiram às derrotas na primeira rodada. O alemão Otto Rehhagel trocou Antzas, Karagounis e Gekas respectivamente por Patsatzoglu, Amanatidis e Liberopoulos, com a promessa de tornar a Grécia mais ofensiva.

O holandês Guus Hiddink fez uma alteração na zaga (Ignashevich no lugar de Shirokov) e outra no meio-campo (Torbinskiy no lugar de Sychev). Mas as mudanças melhoraram pouco a qualidade das duas equipes.

No primeiro tempo, o jogo em Salzburgo foi truncado, com muitas faltas, passes errados e poucas chances de gol. Uma das primeiras foi da Grécia. Aos 21 min, Torosidis cobrou uma falta para a área, Charisteas não alcançou a bola e Semshov quase marcou gol contra.

O concerto de vaias começou cedo, mas foi interrompido depois de meia hora de jogo pelos russos. Aos 33 min, Zhirkov cruzou sobre a área grega, Nikopolidis saiu caçando borboleta. Semak alcançou a bola antes do goleiro grego, passou para a Zyryanov, que a empurrou para o gol desguarnecido.

Os gregos começaram a correr atrás do prejuízo. No segundo tempo, tentaram aumentar a pressão, mas foram fracos demais no ataque para romper a defesa da Rússia. O único perigo partiu de chutes de longa distância do meia Karagounis.

Os campeões europeus estiveram longe do desempenho mostrado nas Eliminatórias da Eurocopa, quando venceram 10 das 12 partidas disputadas. Com essa derrota, estão eliminados da Euro 2008.

A Espanha está classificada como primeira colocada do Grupo D. A Rússia, a equipe mais jovem do torneio, e a Suécia vão disputar a segunda vaga do grupo para as quartas-de-final.

Suécia 1 x 2 Espanha

A Espanha começou o jogo exatamente como terminou a partida de estréia, quando desmontou a Rússia (4 a 1): jogando um futebol ofensivo até a entrada da área adversária. Só as finalizações não davam certo.

Aos 15 min, porém, Fernando Torres aproveitou uma bola cruzada na área por Silva, após cobrança de escanteio, e marcou de sola o primeiro gol do jogo.

A Suécia reagiu e, dois minutos depois, quase empatou, através Elmander, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora. Daí a equipe espanhola sofreu uma baixa: o zagueiro Puyol se contundiu e foi substituído por Albiol.

A Suécia cresceu no jogo, graças a boas combinações da dupla de veteranos Larsson e Ibrahimovic. Aos 34 min, Ibrahimovic recebeu um lançamento longo da direita, deu uma volta em Sergio Ramos e marcou com um chute rasteiro da entrada da pequena área.

Após o merecido empate, os suecos continuaram mais ativos e com mais domínio de campo, mas num contra-ataque Elmander derrubou Silva na área. Os espanhóis reclamaram pênalti, que o árbitro holandês Pieter Vink não viu.

No intervalo, surpreendentemente o técnico sueco substituiu Ibrahimovic por Rosenberg. Essa medida enfraqueceu o ataque escandinavo, que só voltaria a criar uma chance real de gol aos 32 minutos do segundo tempo.

Na etapa final, a Espanha voltou a ter mais volume de jogo, criou mais chances para ampliar o placar, mas continuou esbarrando na tática destrutiva do adversário. Contra a compacta Suécia, os espanhóis encontraram bem mais dificuldades do que contra a Rússia e só decidiram a partida no final.

Nos acréscimos, David Villa recebeu um lançamento longo, entrou na área, driblou o zagueiro Hansson e marcou seu quarto gol no torneio, quando os suecos aparentemente já estavam com o pensamento nos vestiários.

Com esse resultado, combinado com a eliminação da Grécia, a Espanha classificou-se como primeira do Grupo D para as quartas-de-final da Euro.

swissinfo, Geraldo Hoffmann

Grécia 0 x 1 Rússia

Grécia: Nikopolidis – Seitaridis (Karagounis), Kyrgiakos, Dellas, Torosidis - Basinas, Katsouranis, Patsatzoglu - Charisteas, Liberopoulos (Gekas), Amanatidis (Giannakopoulos)
Técnico: Otto Rehhagel

Rússia: Akinfeev - Anyukov, Ignashevich, Kolodin, Zhirkov (V. Berezutskiy)- Semak - Torbinskiy, Zyryanov, Semshov, Bilyaletdinov (Saenko) - Pavlyuchenko
Técnico: Guus Hiddink

Data: 14/06/2006
Local: Salzburgo, Áustria
Público: 30 mil (lotado)
Árbitro: Roberto Rosetti (Itália)
Assistentes: Alessandro Griselli (Itália), Paolo Calcagno (Itália), Olegário Benquerença (Portugal)

Gol: Zyryanov (R), aos 33 min do 1T
Cartões amarelos: Karagounis (G), Liberopoulos (G), Saenko (R), Torbinskiy (R)

Aqui termina o infobox

Suécia 1 x 2 Espanha

Suécia: Isaksson - Stoor, Mellberg, Hansson, M. Nilsson - D. Andersson, A. Svensson – Elmander (S. Larsson), Ljungberg - Ibrahimovic, H. Larsson (Källström)
Técnico: Lars Lagerbäck

Espanha : Casillas - Sergio Ramos, Puyol (Albiol), Marchena, Capdevila - Marcos Senna - Iniesta (Santi Cazorla), Xavi (Fabregas), Silva - Fernando Torres, Villa
Técnico: Luis Aragonez

Data: 14/06/2006
Local: Innsbruck, Áustria
Público: 30 mil (lotado)
Árbitro: Pieter Vink (Holanda)
Assistentes: Adriaan Inia (Holanda) Hans Ten Hoove (Holanda) Craig Thomson (Escócia)
Gols: Fernando Torres (E), aos 15 min do 1T; Ibrahimovic, aos 34 min do 1T; David Villa (E), nos acréscimos.
Cartões amarelos: Marchena (E), A. Svensson (S)

Aqui termina o infobox

×