Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Grasshoper fora da Liga dos Campeões

O brasileiro Clayton abriu o placar para o Porto

(Keystone)

O Grasshoper de Zurique perdeu de 3 a 2 (ida 2-2) para o FC Porto, na 3a. rodada da fase eliminatória para a Liga dos Campeões. Perdeu também cerca de 10 milhões de francos, soma que embolsaria se se classificasse. A equipe suíça não vai portanto repetir campanhas de 1996 e 1997.

Na partida de ida, Grassoper sublimou-se, principalmente no segundo tempo e por pouco não ganhou a partida, beneficiando-se do despreparo físico da equipe portuguesa. O resultado final de 2 a 2 deixava margem para o Grasshoper sonhar com a Liga dos Campeões sobre a qual os franceses costumam fazer um trocadilho, chamando-a de "Ligue du pognon" (liga da grana, em português).

Se conseguisse a vaga, cerca de 10 milhões de francos (mais de 6 milhões de dólares) entraria no caixa da equipe suíça, ou seja quase a metade do orçamento do Grasshoper.

Clayton explora falha do goleiro suíço

No primeiro tempo, os portugueses foram patrões no campo no início da partida. A chance apareceu no entanto aos 14 minutos quando o goleiro Jehle deixou escapar a bola e Clayton na boca do gol foi mais rapido que Jehle abrindo o placar para o Porto.

A partir desse momento o Porto fechou mais a defesa, privilegiando os contra-ataques. Grasshoper reagiu bem, pressionando o adversário. E ao cobrar falta fora da área o atacante uruguaio Nuñez por pouco não conseguiu o empate: a bola bateu na trave e saiu pela linha de fundo. E aos 25min o Grasshoper conseguiu 3 corners consecutivos, mas os ataques fracassaram.

Tudo se complica no fim do 1° período

A fisionomia da partida mudou completamente aos 42min quando Clayton cobrou falta bem fora da área e Capucho, de cabeça, ampliou o placar para 2 a 0, beneficiando-se da distração da defesa do Grasshoper. Para a equipe suíça era o pior cenário esse gol logo antes da pausa.

Grasshoper continuou reagindo no segundo período tentanto levar o perigo para a área do adversário. Mas as coisas se complicaram aos 66min para a equipe zuriquense: Papa Bouba levou (talvez injustamente) um segundo cartão amarelo, o que significava expulsão.

Sonho volta aos 77min

Mesmo em inferioridade numérica o Grasshoper conseguiu reduzir a marca a 2 a 1, gol de Petric (77'), suscitando uma vaga de esperança na torcida suíça. Mas a esperança durou pouco. Dois minutos depois, o brasileiro Deco levava o placar para 3 a 1, praticamente enterrando as chances do Grasshoper.

No fim da partida a equipe de Zurique intensificou os ataques e aos 86 min , Chapuisat que substituíra Smiljanic, diminuiu a marca a 3 a 2, resultado final.

Swissinfo


Links

×