Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

História e sociedade 2018 é um ano cheio de efemérides suíças notáveis

O que têm em comum Céline Dion, a quarta língua nacional do país e a televisão suíça ?

jornal em romanche

Há 80 anos, o romanche tornou-se a quarta língua nacional da Suíça

(Keystone)

Há 10 anos: a Suíça e a Áustria foram anfitriãs do Campeonato Europeu de Futebol de 2008. No mesmo ano, o Kosovo declarou sua independência da Sérvia. A Suíça foi o primeiro país a reconhecer Pristina e a iniciar relações diplomáticas com o país mais novo da Europa.

Há 30 anos: essa foi a última vez que a Suíça ganhou a competição musical Eurovision. A vencedora foi uma tal Céline Marie Claudette Dion, então uma cantora pouco conhecida do Canadá de língua francesa. Sua interpretação da canção "Ne partez pas sans moi" ajudou os suíços a conquistar o cobiçado troféu.

Celine Dion

Céline Dion (à dir.) com o compositor de sua canção vencedora, Atilla Sereftug (esq.) e a autora das letras Nella Martinetti em 1989

(Keystone)

Há 50 anos: os estudantes saíram às ruas para protestar. E a televisão pública transmitiu as primeiras imagens de televisão em cores para os lares suíços, do estúdio Bellerive em Zurique.

Há 80 anos: Em 20 de fevereiro de 1938, os homens suíços (as mulheres só receberam o direito de votar em 1971) votaram 92% a favor da inclusão do romanche como quarta língua nacional.

Há 100 anos: o Partido Social Democrata e o grupo de ação "Comitê de Olten" convocaram uma grande manifestação em Zurique para marcar o primeiro aniversário da Revolução Russa. O governo federal enviou tropas a pedido do general Wille e do governo de Zurique. A reação: uma greve geral, que durou de 12 a 14 de novembro de 1918, e que foi um dos conflitos sociais mais importantes da história da Suíça.

A Suíça não sofreu uma revolução, mas a greve, reprimida e malograda, teve efeitos duradouros. Os eleitores aprovaram a introdução da representação proporcional em 13 de outubro de 1918, o que, por sua vez, ajudou os social-democratas, fortalecidos pela greve, a entrar no parlamento. Isso acabaria por levar ao fim do domínio político do Partido Radical, uma posição que ocupou desde que o estado federal da Suíça foi fundado em 1848.

documents about the general strike

Diversos documentos da Greve Geral de 1918, inclusive panfletos dos grevistas e do exército

(Keystone)

Há 150 anos: a genebrina Marie Goegg-Pouchoulin (1826-1899) escreveu um artigo de jornal pedindo a fundação de um comitê de mulheres. No mesmo ano, ela fundou a "Associação internacional das mulheres", a primeira do gênero. Goegg e suas colegas fizeram campanha pela igualdade de direitos para homens e mulheres em todos os campos legais. Mas ainda demorou quase cem anos até as mulheres receberam o direito de voto.

Há 170 anos: a Constituição Federal Suíça entrou em vigor em 12 de setembro de 1848. Foi resultado de uma curta guerra civil conhecida como Guerra de Sonderbund. A constituição substituiu a Associação da Confederação (dos cantões) de 1815 por um estado federal baseado em um modelo republicano, que está em operação até hoje.

Folheto comemorativo confeccionado por Johann Jakob Leuthy para a Constituição Suíça

Folheto comemorativo confeccionado por Johann Jakob Leuthy para a Constituição Suíça

(Keystone)

Há 200 anos: nascia Jacob Christoph Burckhardt, importante historiador suíço de arte e cultura, especialmente da história da arte européia. Friedrich Nietzsche descreveu-o como "o maior dos nossos grandes professores". Burckhardt é considerado o fundador do termo "o renascimento europeu".

Jacob Christoph Burckhardt, 1818 — 1897)

Jacob Christoph Burckhardt (1818 -1897)

(ETH-Bibliothek - arquivo de imagens)


swissinfo.ch/ets

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.