Navigation

Homem-jato suíço bate recorde

Depois de voar por quatro minutos, Rossy entrou para o livro Guiness dos Recordes. yves-rossy.com but original keystone

Yves Rossy, piloto civil e aventureiro nas horas vagas, construiu em casa asas e turbinas portáteis para ter a sensação de voar como os pássaros.

Este conteúdo foi publicado em 28. setembro 2004 - 16:47

Com o estranho aparelho, o suíço sobrevoou a 180 quilômetros por hora durante quatro minutos e acabou entrando para o livro Guiness dos Recordes.

Yves Rossy sempre esteve nos ares. Depois de ter aprendido a pilotar aos dezoito anos, ele entrou para as forças armadas e passou a comandar jatos como o Mirage III e o F-5. Depois entrou para a companhia aérea Swiss, onde pilota até hoje grandes aviões de carreira como o Boeing 747 e Airbus A-319.

Agora, aos 45 anos de idade, o suíço originário do cantão de Vaud decidiu realizar um dos sonhos mais antigos da humanidade: voar como os pássaros.

Porém a realidade é que a fisiologia do corpo humano não permite essa proeza sem ajuda de máquinas. Por isso, Yves Rossy construiu em casa um aparelho portátil constituído de um par de asas dobráveis de carbono com três metros de envergadura e duas pequenas turbinas com capacidade de propulsão de 22 quilos, cada uma. No total, incluindo o querosene, tudo não pesa mais do que quarenta quilos.

O “homem-jato”, como é chamado na imprensa suíça, levou cinco anos para desenvolver sua máquina. Ele também teve a ajuda de engenheiros da empresa alemã Jet-Cat.

Após quinze tentativas, Yves Rossy conseguiu realizar em 23 de agosto o primeiro teste bem sucedido. Depois de pular de um pequeno avião de transportes ao sobrevoar a cidade de Bex, no oeste da Suíça, ele acionou as duas turbinas e iniciou um vôo horizontal a 180 quilômetros por hora. Tudo não durou mais do que quatro minutos. Ao iniciar a descida, o “homem-jato” fechou as asas e acionou o pára-quedas, pousando tranqüilamente num campo próximo.

“Foi fantástico, maravilhoso, você esquece que tem algo nas costas e simplesmente flutua no ar. Acho que essa é a primeira vez que realizo o meu sonho de voar realmente”, exprime exaltado Rossy, em entrevista à swissinfo.

Recordes

Além do sucesso técnico, o vôo de quatro minutos acabou incluindo o suíço no livro Guiness dos Recordes. Agora o próximo objetivo é continuar a desenvolver o aparelho para permitir vôos mais longos e também a realização de algumas acrobacias no ar.

“Eu adoraria ser incluído num filme de ação como os do James Bond”, brinca Rossy. “Neles são utilizados quase sempre efeitos especiais, porém no meu caso, a peripécia é verdadeira”.

Essa não foi a primeira vez que o “homem-jato” entrou para o livro de recordes. Há alguns anos, Rossy foi a primeira pessoa do mundo a fazer surf aéreo pulando de um balão de ar quente. Ele também já pulou entre as asas de dois aviões em formação de vôo e cruzou o lago de Genebra em asas infláveis, um invento desenvolvido por ele próprio.

swissinfo com agências

Breves

Na vida real, Yves Rossy é comandante de Airbus-319 na companhia aérea suíça Swiss.

O piloto suíço já foi incluído duas vezes no livro Guiness dos Recordes: por ter sido a primeira pessoa a surfar no ar pulando de um balão e por ter sido o primeiro a voar horizontalmente com asas e turbinas portáteis.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?