Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Imprensa comenta o "triste fado" da seleção portuguesa

Ballack (centro) marcou o terceiro gol dos alemães contra Portugal.

(Keystone)

Com a vitória de 3 a 2 sobre Portugal, os alemães mostraram mais uma vez que, nas partidas decisivas, crescem em campo, ao contrário dos portugueses.

A imprensa elogia a eficiência alemã e aponta os erros que levaram à eliminação de Portugal nas quartas-de-final da Euro 2008.

Alemanha

Spiegel online: "Na Basiléia, um sonho de verão tornou-se realidade – a Alemanha eliminou Portugal do torneio. A receita da impressionante vitória: empenho, a sorte do primeiro gol e um extraordinário Bastian Schweinsteiger. A zebra transformou-se em favorita ao título da Euro."

FAZ.net: "O sonho alemão de chegar ao pico da montanha vive. Com coração, razão, paixão e uma enorme coragem do técnico, a seleção nacional passou às semifinais. Schweinsteiger continua sendo o pesadelo dos portugueses."

Portugal



Maisfutebol.iol.pt: "Vítima dos seus defeitos, de pontos fracos há muito detectados, mas pouco referidos na inflação de euforia que se seguiu às vitórias sobre Turquia e República Checa, Portugal sai do Europeu nos quartos-de-final, vergado ao peso de uma Alemanha mais forte (2-3). O último jogo de Scolari à frente da selecção chegou mais cedo do que todos esperavam, pondo um fim abrupto ao ciclo de maior sucesso de que há memória no futebol português."

ABola.pt: "Triste fado. Portugal tornou-se vítima de sua própria ineficiência."

Record.pt: "Até um dia, Scolari. Terminou um ciclo de ouro no futebol português. Erros nossos e má fortuna fizeram-nos cair nos quartos-de-final. E o árbitro também ajudou."

Espanha



Marca.com: "A efetividade alemã podou a vontade dos portugueses. Os germanos impuseram-se na primeira partida pela quartas-de-final porque acertaram mais nas oportunidades que tiveram. Os portugueses – com um Cristiano Ronaldo desaparecido – tiveram mais posse de bola, mas faltaram-lhes idéias e se permitiram o luxo de cometer erros defensivos diante de uma Alemanha que não perdoa".

Suíça

NZZ.ch: "Schweinsteiger leva a Alemanha às semifinais. Vitória merecida por 3 a 2 dos jogadores comandados por Joachim Löw".

Bernerzeitung.ch: "Portugal foi leve e pequeno demais para a Alemanha."

Tagesanzeiger.ch: "Os alemães venceram por sua eficiência nas conclusões, sua organização rígida, pela liderança de Ballack e pela vivacidade de Podolski e Schweinsteiger."

Áustria



DiePresse.com: "Mesmo sem Jögi Löw, a Alemanha ganhou o jogo pelas quartas-de-final contra por Portugal por 3 a 2. A superestrela Cristiano Ronaldo decepcionou."

Itália



Gazzetta dello Sport: "Uma bela Alemanha manda o Portugal de Ronaldo para casa."

Tuttosport: "A famosa zaga portuguesa é ridicularizada pelos atacantes alemães."

Repubblica: "Ciao ciao Ronaldo! Nocaute contra a Alemanha. Todos os jogadores portugueses, à exceção de Deco, decepcionaram, a começar por Ronaldo. Nota-se que joga uma nova Alemanha: nova no temperamento, nos jogadores e na tática."

swissinfo, Geraldo Hoffmann

×