Navigation

Imprensa suíça elogia acordo na OMC

Manchetes de alguns jornais sobre o acordo na OMC. swissinfo.ch

Mesmo se a agricultura suíça sairá perdendo, os jornais suíços elogiam o acordo fechado sábado à noite na Organização Mundial do Comércio, em Genebra.

Este conteúdo foi publicado em 02. agosto 2004 - 14:14

Os 147 países membros da OMC sairam do impasse criado em Cancun, no ano passado, mas ainda há muito a fazer.

«Liquida-se a agricultura», afirma o Le Matin, de Lausanne, na edição de segunda-feira. O jornal popular reflete a preocupação dos agricultores suíços, como o deputado federal John Dupraz: "A OMC é uma máquina a triturar os homens e que só pensa em dinheiro."

Mas esse tom alarmista não está em toda a imprensa. O Basler Zeitung
fala de meios econômicos satisfeitos e de agicultores em dúvida, referindo-se ao acordo que prevê a eliminação das subvenções agrícolas em troca de uma baixa de tarifas para os produtos industriais. O jornal de Basiléia considera o acordo bom para a economia suíça.

O Berner Zeitung, da capital, vê um provável conflito entre os interesses dos agricultores, sob pressão, e os outros setores da economia suíça, beneficiados pela abertura dos mercados prevista no acordo da OMC.

Em editorial, a Neue Zürcher Zeitung, de Zurique, sublinha que o texto assinado em Genebra é vago e sem prazo definido para entar em vigor. Os efeitos só serão conhecidos mais tarde.

Uma agricultura dependente

Mas, "para garantir seu futuro, o país precisa de mercados abertos para sua economia e não de uma agricultura protegida", conclui o influente jornal zuriquense.

O Bund de Berne vai mais longe e compara as subvenções agrícolas com as drogas. "A longo prazo, essas drogas causam estragos, embora a abstinência repentina cause uma má sansação". O diário da capital conclui que, por medo das reações, muitos governos adiam decisões difíceis mas necessárias.

O Tages Anzeiger, de Zurique, reconhece que os agricultores suíços deverão ser criativos para enfrentar a concorrência estrangeira.

Em Genebra, o tom é diferente. Em editorial intitulado "Um Novo Sul aparece em Genebra", o Le Temps afirma que «se os agricultores suíços fossem menos chorões e o patronato menos ganancioso, teriam agradecido os negociadores suíços o ministro da Economia que molharam a camisa na OMC".

Um passo histórico

O Le Temps estima que, globalmente, a Suíça se beneficiará do acordo concluído no final de semana. "Mas a dimensão do consenso encontrado em Genebra vai mais longe", segundo o jornal genebrino.

"As organizações terceiro-mundistas denunciam o acordo como desequilibrado e muito favorável aos países ricos no Norte. Ora, poucos ministros dos países do sul fizeram a mesma afirmação em Genebra", afirma o editorialista.

Conclusão do jornal: "Foi o Brasil e a Índia, doravante convidados à mesa dos grandes, que conseguiram uma vitória histórica e provavelmente irreversível."

swissinfo

Breves

O grupo dos 10 importadores de produtos agrícolas com preocupações similares:
- Japão
-Bulgária
- Taiwan
- Islândia
- Noroega
- Coréia do Sul
- Israel
- Lichtenstein
- Ilha Maurício
- Suíça

End of insertion

Fatos

Depois de uma semana de intensas negociações, os 147 países membros da OMC chegaram a um acordo para retomar o ciclo de negociações multilaterias de Doha.
O acordo prevê o corte de vários bilhões de francos em subvenções à agricultura e um abertura maior dos mercados aos produtos industrializados.
As negociações prosseguirão em setembro, em Genebra. No final de 2005, os progressos serão avaliados na conferência ministerial da OMC, em Hong Kong.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?