Número recorde de novas empresas e investimentos em startups

No ano passado, foram criadas 44.482 empresas na Suíça, o número mais alto já registrado. O investimento em startups também cresceu fortemente, ultrapassando pela primeira vez 2 bilhões de francos suíços.

swissinfo.ch
Nos últimos anos, tem havido uma proliferação de parques de inovação para startups e PMEs na Suíça, como aqui em Wohlen, no cantão da Argóvia © Keystone / Gaetan Bally

A desaceleração das economias da zona euro, as incertezas em torno do Brexit e a guerra comercial entre os EUA e a China pesaram sobre o desempenho econômico da Suíça em 2019: de acordo com as últimas estimativas da Secretaria de Estado para Assuntos Econômicos (SECO), o crescimento do produto interno bruto não excedeu 0,9%.

Contudo, este desenvolvimento econômico moderado não desencorajou os empresários: o número de novas empresas aumentou 3% em relação ao ano anterior, atingindo o seu nível mais elevado desde a publicação do Diário Oficial Suíço do Comércio, em 1883.

O número de novas empresas tem aumentado de forma bastante constante na última década. Esta tendência foi favorecida pela boa estabilidade da economia suíça durante este período e pelas medidas tomadas pela Confederação (governo) e pelos cantões para facilitar as práticas administrativas e jurídicas das pequenas e médias empresas (PME). Foi apenas em 2015 que se registou uma baixa significativa, após a alta do franco suíço causada pela decisão do banco central do país de abandonar a taxa fixa de conversão com o euro.

Tendo em conta as empresas que fecham, existem em média mais 5000 empresas na Suíça por ano. Atualmente, existem cerca de 600.000 no total, 99% das quais são PMEs, ou seja, empresas com menos de 250 empregados.

Enquanto o trabalho autônomo está atraindo cada vez mais trabalhadores para a Suíça, a criação de novas empresas continua sendo uma opção arriscada. Já após o primeiro ano, cerca de 20% das novas empresas são forçadas a declarar falência e apenas metade consegue sobreviver além de cinco anos. Segundo o Departamento Federal de Estatísticas, 8,7% dos trabalhadores autônomos estavam na pobreza em 2017, contra 3,7% dos empregados.

Tal como na direção e nos conselhos de administração, também há uma clara predominância de homens na criação de empresas. Segundo uma análise de dados do "Institut für Jungunternehmen" (IFJ), três quartos de todas as empresas foram fundadas por homens em 2019. Uma porcentagem exata é difícil de determinar, já que muitas empresas são criadas por várias pessoas. De acordo com a IFJ, a Suíça ainda está ligeiramente atrás da média internacional em termos do número de novas empresas fundadas por mulheres.

Forte crescimento de startups

Por outro lado, cada vez mais jovens estão abandonando uma carreira mais fácil como assalariados em favor do empreendedorismo, como demonstra a multiplicação de startups na última década, ou seja, empresas caracterizadas por um produto altamente inovador e um alto potencial de crescimento. Uma grande parte das novas empresas suíças é criada por estudantes, doutorandos ou jovens graduados de universidades, especialmente dos Institutos Federais de Tecnologia da Suíça.

Os investidores estão cada vez mais confiantes nessas jovens empresas: em 2018, os fundos disponíveis para startups ultrapassaram pela primeira vez a marca de CHF 1 bilhão, e no ano passado ultrapassaram pela primeira vez a marca de CHF 2 bilhões.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo