Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Irmão de Bin Laden é acusado de lavar dinheiro

Yeslam Binladun tem nacionalidade suíça desde o ano passado.

(Keystone Archive)

Yeslam Binladin, o irmão suíço do homem mais procurado do mundo está sendo investigado pela Justiça francesa por movimentos financeiros suspeitos entre as Ilhas Virgens britânicas e a França.

As suspeitas da Justiça francesa chegam num mal momento para Yeslam Binladin, empresário do setor financeiro radicado há mais de 20 anos em Genebra e de nacionalidade suíça.

Livro está provisoriamente proibido

No final de janeiro, o meio irmão de Oussama Ben Laden, havia conseguido que a Justiça de Genebra proibisse, em primeira instância, a publicação na Suíça de "A verdade proibida", livro de dois autores franceses que dá a entender que Yeslam tinha ligações com certas organizações terroristas.

Quinta-feira, 14, o Tribunal de Genebra vai examinar o recurso impetrado pelos editores do livro, cujos autores devem apresentar novos documentos para que a publicação seja autorizada.

Movimento de capitais suspeitos

Por isso, a abertura de um inquérito pela Justiça francesa é inoportuna para o empresário discreto de 51 anos, fundador e administrador da "Saudit Investment Company" (SICO).

Alguns bancos teriam assinalado à TRACFIN, órgão francês de luta contra cicuitos financeiros clandestinos, movimentos suspeitos de somas importantes em contas ligadas a Binladin, entre as Ilhas Virgens Britânicas e a França.

Depois dos atentados do 11 de setembro, Binladin deu algumas entrevistas à imprensa suíça e garantiu que não teve mais contato desde 1981 com o
irmão que se tornou célebre.

swissinfo/Ian Hamel

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×