Navigation

Janela n°10: cantão de Glarus

Keystone / Mirko Ries

Ela é a autora da biografia da última bruxa da Suíça. Eveline Hasler é uma mestra em levar seus leitores para a vida interior de figuras históricas.

Este conteúdo foi publicado em 10. dezembro 2020 - 09:00

A escritora de Glarus começou sua carreira nos anos 1960 com livros para crianças e adolescentes, depois passou gradualmente para poemas e histórias para adultos. Hasler fez seu nome como autora adulta em 1982 com seu romance Anna Göldin, A Última Bruxa.

O trabalho descreve eventos reais que aconteceram no cantão de Glarus, onde nasceu Eveline Hasler. Anna Göldin foi uma das últimas mulheres na Europa a ser acusada e executada por feitiçaria. Esta que foi a última execução legal de uma bruxa na Suíça causou indignação em toda a Europa.

Em seus livros, Eveline Hasler tratou principalmente da história da Suíça, tema que se tornou sua marca registrada. A redação cultural da emissora pública de televisão de língua alemã SRF descreve sua arte da seguinte forma: "Eveline Hasler consegue literalmente deslizar na mente e na alma de seus protagonistas e criar uma proximidade imediata e humana. Ela tem o dom de despertar a inquietação e fazer o leitor entender que tudo Isso também lhe diz respeito". Ela mesma diz: "Eu acho maravilhoso retratar pessoas que realmente viveram. Porque nada é tão fantástico quanto a realidade."

Hasler estudou psicologia e história em Freiburg e Paris, e depois trabalhou como professora por vários anos. A autora, hoje com 87 anos de idade, recebeu inúmeros prêmios, incluindo o Prêmio Suíço do Livro Infantil pelo conjunto de sua obra (1978) e um titulo de doutora honorária da Universidade de Berna (2012). Seus livros foram traduzidos para doze idiomas.

Eveline Hasler é mãe de três adultos e vive no Ticino há cerca de 25 anos. "Aqui, as energias fluem mais facilmente do que ao norte dos Alpes", diz ela.

Para ouvir todo ou parte de seu livro mais famoso, clique aquiLink externo.

A arte em todos os seus estados

Este ano, a SWI swissinfo.ch decidiu dedicar seu Calendário de Advento ao mundo da cultura - e à cultura suíça em particular. Concertos cancelados, museus fechados, apresentações proibidas - a crise do coronavírus atingiu duramente os artistas em todos os campos.

A fim de apoiá-los à nossa maneira e permitir que você descubra seus mundos encantados e variados, lhes convidamos a abrir uma nova janela a cada dia, que revelará uma personalidade particular. Alguns são mais populares do que outros, mas todos têm em comum que são contemporâneos e reconhecidos internacionalmente em sua arte.

Siga-nos durante o mês de dezembro e conheça aqui uma rapper do Valais, um dançarino da Basileia, um escritor da Thurgau (Turgóvia), um trompetista de Friburgo...

E é bom lembrar: nossa seleção não tem a intenção de apresentar "o melhor" da arte suíça. Nós simplesmente desejamos oferecer a você uma paleta o mais rica possível. E esteja à vontade para nos apresentar ou recomendar novos artistas de sua preferência.  👇

End of insertion



Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.