Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Juiz suíço interroga irmão do ex-presidente mexicano

Paul Perraudin (à esquerda) e Raul Salinas de Gortari

(swissinfo.ch)

Paul Perraudin, juiz de instrução em Genebra, está no México quinta-feira, 19/7, para interrogar Raul Salinas de Gortari e seus supostos cúmplices. 100 milhões de dólares estão bloqueados na Suíça desde 1998, em contas de Raul Salinas, suspeito de lavagem de dinheiro.

Raul Salinas está preso no México e condenado a 27 anos de prisão, por ter sido mandante no assassinato de seu ex-cunhado, Francisco Ruiz Massieu, que era secretário geral do PRI, Partido Revolucionário Institucional.

O crime foi em setembro de 94, 3 meses antes do final do mandato de Carlos Salinas de Gortari na presidência do México, eleito pelo PRI.

A Justiça suíça entra nessa história em 1998, bloqueando contas de Raul Salinas, depois que sua esposa, Paulina Castanõn, foi presa na Suíça ao tentar sacar dinheiro de um banco em Genebra, com documentos falsos.

Próximos do ex-presidente serão interrogados

Na viagem de uma semana ao México, o juiz Paul Perraudin, de Genebra, vai prosseguir, ou talvez concluir, as investigações. Raul Salinas será interrogado na prisão mas o juiz genebrino, com a ajuda do Ministério Público mexicano, também vai ouvir empresários, políticos e banqueiros, supostos cúplices de Raul Salinas.

Perraudin não exclui a possibilidade de convocar o ex-presidente Carlos Salinas de Gortari para interrogatório. Desde que deixou a presidência, em dezembro de 1994, Salinas vive em exílio voluntário na Irlanda.

Se as investigações concluírem que o dinheiro provém da corrupção, poderá ser devolvido ao México. Se for provado que vem do tráfico de drogas, o juiz poderá ordenar o confisco, conforme prevê a lei suíça.

swissinfo com agências

×