Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Justiça internacional "Bashar al-Assad é o maior criminoso de todos"

A Comissão de Inquérito da ONU sobre a Síria apresentou na quarta-feira um relatório condenando a batalha de Aleppo, que terminou em dezembro de 2016. Membro da Comissão, a suíça Carla Del Ponte acredita que o presidente Bashar al-Assad deve ser absolutamente julgado por crime de guerra.

Carla Del Ponte, durante a apresentação em Genebra do último relatório da Comissão de Inquérito da ONU sobre a Síria.

(Keystone)

Em 37 páginas, o relatório da Comissão, elaborado pelo Conselho de Direitos Humanos em 2011 (alguns meses após o início do conflito) documenta abusos cometidos por ambos os grupos armados rebeldes e as forças do governo sírio e seu aliado russo.

"Todas as partes cometeram graves violações do direito humanitário internacional que constituem crimes de guerra", conclui o relatório, que abrange o período de 21 de julho, o início do cerco de Aleppo pelas forças do regime, até 22 de dezembro de 2016, data da retomada da cidade.

Pela primeira vez, a comissão presidida pelo brasileiro Paulo Pinheiro põe diretamente em causa o regime pelo bombardeio de um comboio humanitário perto de Aleppo, em setembro. "Todos os relatórios, imagens de satélite, testemunhos e análises médico-legais envolvem as forças sírias", diz o relatório, que acusa o regime de ter "deliberadamente alvejado" o comboio. Damasco sempre negou seu envolvimento no ataque, assim como a Rússia.

Relatório após relatório, a Comissão documentou a responsabilidade esmagadora do regime de Assad nas atrocidades. "Faz seis anos que ele é responsável por um grande número de mortes de civis. Assad deve absolutamente ser julgado. Ele é o maior criminoso de todos", disse Carla Del Ponte em entrevista à rede de televisão suíça RTS.

Na verdade, Carla Del Ponte é conhecida por sua tenacidade e franqueza. Uma reputação estabelecida desde o seu início como procuradora no Ticino, cantão de língua italiana, e da Confederação Suíça desde 1994.

Nomeada em 1999 pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas como procuradora do Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII) e do Tribunal Penal Internacional para o Ruanda (TPIR), Carla Del Ponte adquire fama internacional e se torna uma das estrelas da justiça internacional em pleno desenvolvimento.

Com essa experiência, foi nomeada em 28 de setembro de 2012 para a Comissão de Inquérito da ONU sobre a Síria, composta por quatro investigadores.



Adaptação: Fernando Hirschy, swissinfo.ch

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.