Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Lausanne perde Agência Mundial Anti-Doping

A Agência terá orçamento de 18 milhões de dólares

(swissinfo.ch)

Na disputa pela sede da Agência Mundial Anti-Doping - AMA - a cidade de Montreal levou a melhor sobre Lausanne. A decisão foi anunciada na terça-feira 21/8 pelo conselho de fundação da Agência, reunido em Tallin, capital da Estônia.

A decisão foi tomada no quarta votação, quando Montreal recebeu 17 votos a mais que Lausanne. As cidades de Viena, na Áustria, Bonn, na Alemanha e a capital sueca Estocolmo também eram candidatas a sediar a Agência Mundial Anti-Doping.

Lausanne considerava-se candidata ideal

Lausanne considerava-se dispor da melhor candidatura. É sede do Comitê Olímpico Internacional - COI. E a Agência Anti-Doping estava instalada na cidade desde sua criação, em 1999.

O Comitê de avaliação da AMA estimara que Lausanne, Montreal e Viena apresentavam os melhores dossiês. Mas prevaleceram outros critérios, inclusive provavelmente o de consolar o presidente da Agência, o canadense Richard Pound que, em julho perdeu, a presidência do COI para o belga Jacques Rogge.

A França, particularmente envolvida em escândalo de doping desde o "Tour de France" (volta ciclística) em 1998, queria que um país da União Européia sediasse a agência, no sentido de garantir "um funcionamento independente e transparente". Não foi atendida.

Missão da AMA

A Agência Mundial Anti-Doping reúne representantes dos Esporte e dos Estados. Tem por missão principal regulamentar a luta contra o doping nos competições esportivas.

A Agência, financiada atualmente pelo Comitê Olímpico Internacional, terá a partir do ano que vem seu financiamento garantido em partes iguais pelo COI e os estados membros. Na cota dos Estados, a Europa pagará 47,5%, as Américas 29%, a Ásia 20%, a Oceania 2,5% e a África 0,5%.

O orçamento da Agência Anti-Doping é de 20 milhões de euros (cerca de 18 milhões de dólares).

swissinfo com agências.


Links

×