Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Leões ganham nova casa

A pequena Yamuna é a mais jovem leoa indiana no Zoológico de Zurique (foto: E. Isenbügel)

Zoológico de Zurique completa 75 anos de existência. Para comemorar, instituição constrói novas instalações para os leões indianos, uma espécie ameaçada de extinção.

Os custos, avaliados em 6 milhões de francos suíços, serão financiados através de doações.

Não é surpresa para um país como a Suíça: o jardim zoológico de Zurique está localizado no alto da montanha.

O bonde que sai da estação central de trem leva o visitante morro acima, passando pela universidade, até chegar numa área verde, de onde se avista ao fundo o lago da maior cidade suíça.

Ele não é nem o maior, nem a melhor instituição do gênero. “Porém nós somos um dos jardins zoológicos que mais se esforça pela preservação de espécies ameaçadas”, ressalta Alex Rübel, diretor da instituição.

Vários projetos são mantidos atualmente pela instituição, como a preservação de espécies ameaçadas da floresta Masoala no Madagascar, a dos leões indianos e das lontras de água doce, que já estão extintas também na Suíça.

O mais importante: nos seus 27 hectares, os suíços podem admirar mais de dois mil animais, de 316 diferentes espécies, vindos de todas as partes do globo. "Para muitas crianças suíças, essa é a única oportunidade de ver de perto uma parte da natureza que eles só conhecem da televisão", lembra Rübel.

75 anos de idade

O jardim zoológico de Zurique foi aberto em 7 de setembro de 1929, por uma iniciativa de cidadãos aficcionados pela vida selvagem. Seu trabalho é mantido até hoje através de recursos governamentais, doações da população e de milionários.

A construção do pavilhão “Masoala” custou 56 milhões de francos, sendo que os recursos vieram em grande parte dos cofres do banqueiro privado Hans Vontobel. No espaço, que recria uma floresta virgem de Madagascar, o benemerente pode plantar uma árvore no dia da inauguração.

Para comemorar o aniversário, o zoológico decidiu declarar 2004 como o “Ano do Leão”, animal que é o rei dos animais e também o símbolo da cidade de Zurique. O programa prevê a construção de uma nova área para os leões indianos e também entrada grátis para todas as pessoas que tem “leo” no nome, ou seja, Leonardo, Leôncio, Leopoldo e outros semelhantes.

Leões indianos ganham nova casa

Os leões indianos do jardim zoológico de Zurique estão vivendo em jaulas apertadas, onde vitrines permitem aos visitantes terem a impressão de estar próximos dos animais. “Porém nós iremos construir um espaço dez vezes maior, que irá imitar o seu habitat natural”, explica Alex Rübel.

Essa espécie, um pouco menor do que seus primos africanos e adaptada à vida nas florestas, era encontrada anteriormente da Península Arábica até vastos territórios na Ásia. Hoje ela está seriamente ameaçada de extinção. Apenas 250 animais ainda sobrevivem no parque nacional “Gir Forest”, uma área de 529 quilômetros quadrados no noroeste da Índia.

A Suíça e outros zoológicos na Finlândia e Inglaterra participam do programa de preservação do leão indiano. O casal que vive no zoológico de Zurique, batizados de “Bahgirath” e “Mena”, foi um presente do governo indiano quando a Suíça completou 700 anos em 1991. Os dois leões, atualmente com 15 anos de idade, já geraram quatro filhotes.

O futuro fosso dos leões indianos estará pronto em 2005. Ele terá áreas florestadas, campos e também um pequeno rio. Um sistema de alimentação especial foi desenvolvido para incentivar o espírito de caça dos animais. Ele funciona através de alimentos que são pendurados em cabos corrediços, escondidos ou colocados em caixas, que só se abrem em tempos pré-determinados.

Os 6 milhões de francos necessários para a construção do novo espaço virão da doações de particulares. “A população gosta muito do zoológico e sempre nos ajudou”, completa Rübel.

swissinfo, Alexander Thoele


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×