Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Lucro da Nestlé caiu em 2003

Sede da Nestlé em Vevey, Suíça

(Keystone)

O líder mundial do setor alimentar anunciou quinta-feira um lucro líquido de 6,213 bilhões de francos suíços, em 2003. Em 2002, o lucro fora de 7,564 bi.

Dólar fraco, guerra no Iraque, conflito na Costa do Marfim etc. são alguns dos motivos, que provocaram também um ligeiro recuo (1,3%) do faturamento.

Como empresa suíça, a Nestlé faz seus balanços em francos suíços e isso nem sempre é uma vantagem. O dólar fraco atualmente influencia os resultados de maneira negativa.

Como empresa presente nos cinco continentes, as flutuações monetárias como as desvalorizações na América Latina, por exemplo, refletem-se nos números da empresa.

Em 2003, segundo cálculos da Nestlé, se a taxas de câmbio fossem estáveis, o faturamento teria aumentando de 6,3%.

Apesar da queda do lucro de 18%, Nestlé propõe dividendos de 7,20 francos suíços por ação. Em 2002, com lucro maior, o foram pagos 7 francos por ação.

Otimismo prudente para 2004

Com 511 fábricas no mundo e um programa mundial de reestruturação estratégica, Nestlé vende e compra marcas e unidades de produção regularmente, um processo bastante complexo que influencia os resultados.

Em 2003, citando apenas dois exemplos, uma das aquisiçõoes, a Alcon (setor médico farmacêutico) começou a ser cotado em bolsa; no mesmo ano, a Nestlé vendeu uma empresa do setor de aromas à Givaudan, lider mundial do setor sediada em Genebra.

No balanço de 2003, o presidente do conselho de adminstração, Peter Brabeck-Letmathe citou ainda a falta de confiança dos consumidores devido questões políticas (conflito no Iraque, na Costa do Marfin etc.) e econômicos como a estagnação e mesmo recessão em muitos países.

Prioridade ao volume de vendas

Na coletiva à imprensa, quinta-feira, em Vevey, ele afirmou um "otimismo prudente" para 2004, apostando na resolução de conflitos e num ambiente mais propício ao consumo.

Com relação ao Brasil, disse que o pior já passou e que o país retoma a confiança. Afirmou ainda que a queda das vendas (12,5%) fo compensada pelo aumento dos preços (12%) mas reconheceu que o aumento de preços não pode continuar. "Temos de priorizar novamente o volume de vendas, acrescentou".

A Nestlé mantém o objetivo de crescimento de 5 a 6% este ano, graças a um "contexto internacional um pouco melhor", afirma Brabeck.

Crescimento geral

Apesar do ligeiro reculo do lucro, os negócios da Nestlé melhoraram no Leste Europeu, na América Latina , na Ásia, África e Oriente Médio. Quase todos os setores de atividade contribuiram para essa progressão.

O setor de bebidas, o mais importante atualmente, cresceu 5,3%, com faturamenteo de 23,5 bilhões de francos suíços.

Mudanças no conselho de administração

Na assembléia geral dos acionistas, dia 22 de abril, cinco novos membros deverão integrar o conselho de administração. O mais notável é o ex-ministro suíço das Finanças, que deixou o cargo no final do ano passado, Kaspar

Entre os outros membros propostos estão um ex-presidente do Banco Central da Inglaterra, um membro do grupo Roche e outro do setor da informática.

swissinfo

Fatos

Faturamento: 87,9 bilhões de francos suíços (89,1 em 2002).
A taxa de câmbio constante, o faturamento teria crescido 6,3%.
Lucro líquido: 6,2 bilhões (7,5 bi em 2002).
Lucro por ação: 20,23 francos suíços (18,90 em 2002)
Proposta de dividendo por ação: 7,30 (7 francos suíços em 2002).

Aqui termina o infobox


Links

×