Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Luxo para Ronaldo e co.

O hotel da seleção brasileira tem até uma pequena praia.

(swissinfo.ch)

Durante duas semanas em Weggis, a seleção brasileira ficará hospedada num dos hotéis mais luxuosos da cidade: o Park Hotel Weggis.

No embalo da Copa, a direção do estabelecimento leiloa no eBay cinco quartos depois de usados pelos jogadores. A oferta inclui tratamento de beleza e até camisa assinada.

A idéia nasceu como brincadeira e acabou virando negócio. O Park Hotel Weggis, que irá hospedar a seleção brasileira durante as duas semanas de treinamento em solo suíço, entre 22 de maio e 4 de junho, vai leiloar pernoites nos quartos dos cinco craques mais conhecidos logo após a partida da Seleção para a Alemanha.

O leilão começa às 10 horas da manhã (cinco horas da manhã no Brasil) em 15 de maio na plataforma suíça do gigante do comércio eletrônico eBay (www.ebay.ch) e dura quatorze dias. O lance inicial é de 200 francos suíços (US$ 162) por cada quarto.

- Logo que a seleção brasileira partir de Weggis, os compradores terão o privilégio de ficar sozinhos no hotel e dormir nos quartos que acabaram de ser utilizados pelos jogadores. Eles vão poder ainda sentir o espírito da Seleção Brasileira pairando no ar - brinca Peter Kämpfer.

Obviamente as camas não estarão ainda mais quentes, pois tudo será limpo e arrumado, garante o diretor do Park Hotel Weggis. Ele conta que os hóspedes terão o privilégio de secar os cabelos com a mesma secadora que foi utilizada por Ronaldinho ou Ronaldo. Mas o que deve atrair muitos interessados é, seguramente, a oferta de camisetas autografadas pelas estrelas.

- Cada um dos quartos terá uma camisa assinada pelos jogadores, que poderá ser levada depois para a casa. Para muitos fãs esse deve ser um presente inesquecível – completa.

Porém, enquanto a equipe ainda está preparando as bagagens no Brasil, o Park Hotel já tenta faturar com a Copa. Atualmente o único hotel cinco estrelas de Weggis oferece um pacote chamado "Parc & Brasil", onde o hóspede tem direito a um pernoite com café da manhã, uma caipirinha de recepção, um jantar de quatro pratos no restaurante do hotel, o CD "Electronic Brazilian Tunes", um tratamento de beleza "Copacabana-Peeling" à base de creme de mamão papaya e óleo de coco e uma entrada para um dos 14 treinos da Seleção Brasileira na cidade. O preço da oferta é relativamente salgado: entre 406 e 674 francos por pessoa (US$ 332 e US$ 551).

Seleção procura tranqüilidade

Não é difícil entender porque a seleção brasileira escolheu esse lugar paradisíaco. Afora o conforto e luxo, o aspecto mais importante levado em conta pela CBF foi o fator "segurança".

Localizado num terreno de 22 mil metros, o Park Hotel Weggis só pode ser alcançado pela via única da estrada que serpenteia as bordas do Lago dos Quatro Cantões. Durante a estadia da seleção ela será bloqueada por seguranças particulares e a polícia suíça. Além disso, a área do hotel estará limitada por uma cerca de 1 metro e cinqüenta centímetros de altura e coberta de arame farpado.

Nada fica ao acaso. Os funcionários do Park Hotel Weggis assinaram um acordo no qual se comprometem a não transmitir nada para a imprensa sobre a privacidade dos brasileiros. Os tradutores e outros auxiliares contratados para as duas semanas, como uma relações-públicas suíço-brasileira, foram analisados pelas suas fichas policiais. Os quartos não terão telefones e o setor de wellness não terá mulheres. O resto da segurança fica com a técnica.

- Além das câmaras de televisão em todas as áreas do hotel, podemos fechar as portas e entradas apertando simplesmente um botão ao menor sinal de alerta – revela o subgerente Philipp Musshafen.

Luxo discreto

O Park Hotel Weggis é uma testemunha da época de ouro do turismo na Suíça. O belo casarão pintado de branco foi construído em 1875 no estilo "jugendstil" e depois expandido várias vezes. Nessa época o estabelecimento se chamava "Hotel e Pensão Belle-Vue". Seu fundador, Wilhelm Strässli, aproveitava-se dos primórdios de um setor econômico que terminaria sendo muito importante para a Suíça: o turismo.

Os ingleses foram os primeiros a vir. Os grupos fugiam da ilha úmida e fria, para descansar e respirar o ar puro dos Alpes. Weggis oferecia não apenas as montanhas, mas também um inverno ameno e verão ensolarado graças a sua vantajosa posição geográfica. O clima quase tropical da cidade permite que cresçam palmeiras nos jardins públicos. O folheto turístico conta orgulhoso que 36 espécies de orquídea são encontradas na vegetação local. No passado, a perfeição da natureza e a tranqüilidade atraíram personalidades como a rainha Vitória da Inglaterra, Ludwig II da Baviera, Otto von Bismarck e escritores como Alex Dumas, Paul Lincke, Emile Zola, Mart Twain e o compositor Sergej Rachmaninoff.

O problema é que a hotelaria helvética não pode dormir nos louros do passado. A crise vivida no setor devido aos altos preços obrigou muitos dos estabelecimentos a investirem em adicionais como infra-estrutura para "wellness", animação ou tratamentos médicos.

Nesse sentido o Park Hotel Weggis sofreu reformas em 2002, quando os prédios históricos foram acrescidos de uma moderna construção para abrigar saunas, solários, banheiras de hidromassagem e sala de musculação. Apenas a piscina não estará disponível quando os jogadores chegarem, pois sua construção foi retardada para julho de 2007 devido a uma briga judicial.

Nas horas livres, a delegação brasileira poderá utilizar essa área nova, que dispõe até de um jardim japonês com um centenário bonsai (árvore em miniatura) importado diretamente do Japão.

Adega famosa

O Park Hotel Weggis oferece 43 quartos. As suítes especiais foram batizadas com nomes de personalidades que já se hospedaram na cidade. A mais cara é a "Rachmaninoff" (495 francos à diária), que lembra até o quarto de um motel de luxo com seus 90 metros quadrados, banheira jacuzzi e decoração em vermelho. Detalhe: as lâmpadas de leitura são em forma de coração.

Segundo o diretor do Park Hotel Weggis, a CBF ainda não marcou os quartos que serão utilizados pelos jogadores. Ele acredita, porém, que ninguém será privilegiado com suítes de luxos, mesmo uma estrela como Ronaldinho. Também os dirigentes não foram complicados quanto aos pedidos extras. Peter Kämpfer revela que apenas seis camas serão aumentadas e playstations instalados nos quartos dos jogadores.

Caso o técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, que esteve em março no Park Hotel acompanhado por oito funcionários da CBF, necessite organizar uma reunião de estratégia com os jogadores, o hotel oferece o "Aquarius Hall", um grande salão de festa com um sistema ultramoderno de iluminação. Nele as paredes funcionam como uma gigantesca tela de televisão e mudam de cor através de um sistema computadorizado.

- Se necessário, podemos até deixar as paredes do salão verde e amarelo. – explica o subgerente Musshafen.

Outro trunfo do Park Hotel Weggis é o cardápio de vinhos. No seu depósito estão guardadas 40 mil garrafas de dois mil rótulos dos produtores mais conhecidos no mundo, além de raridades como o Romanée-Conti, Château Le Pin e outras marcas famosas. O vinho mais caro é o "Screaming Eagle" de 1997, cuja garrafa custa a modesta soma de 4.500 francos suíços (US$ 3.451).

A bebida pode ser saboreada numa sala especial, logo ao lado da porta de aço que fecha uma das caves. O "sommelier" alemão Christian Bock espera servir alguns brasileiros, porém sabe que nenhum dos jogadores terá permissão dos técnicos para degustar dos melhores vinhos franceses e espanhóis do Park Hotel.

O luxo está garantido. Agora a questão é saber se o tempo também vai ajudar, pois o Park Hotel Weggis acaba de reformar sua praia particular - que tem areia fina, cadeiras e chuveiros como no Brasil - e reforçar o atracadouro próprio.

- Queremos tornar a praia mais acolhedora aos jogadores brasileiros e também permitir que um navio a vapor atraque no nosso porto privado. É claro que não podemos concorrer com Copacabana, mas se o tempo ajudar, garantimos um bom bronzeado antes do início da Copa – confirma Musshafen.

swissinfo, Alexander Thoele

Fatos

A seleção brasileira se hospeda no Park Hotel Weggis entre 22 de maio a 4 de junho.
Cinco quartos habitados pelos jogadores serão leiloados pelo hotel.
O leilão começa às 10 horas da manhã (cinco horas da manhã no Brasil) em 15 de maio e dura até 28 de maio no endereço "www.ebay.ch".
Antes da vinda da seleção, o torcedor podre comprar o pacote "Parc & Brasil", com direito à massagens e jantar.
O Park Hotel Weggis foi inaugurado em 1875 e reformado várias vezes.
O hotel dispõe de 43 quartos.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.