Navigation

Medo de perder um documento nacional

O documento histórico mais importante da Suíça está num museu do cantão de Schwyz. Keystone

No contexto do projeto "Swiss Roots", que fala das origens helvéticas de um milhão de americanos, o Pacto Federal deverá fazer sua primeira grande viagem ao exterior.

Este conteúdo foi publicado em 17. março 2006 - 11:51

O documento mais importante da história helvética será exibido na Filadélfia, algo que contraria alguns suíços.

Um grupo de suíços ligados a Christoph Mörgeli, deputado de Zurique pertencente à União Democrática do Centro (UDC), um partido de direita, pretende comprar o Pacto Federal por um milhão de francos. Com isso, elas querem impedir que um dos documentos mais importantes da Suíça, com mais de 700 anos de idade, seja exibido em junho durante uma exposição nos Estados Unidos.

O parlamentar não quis revelar o nome dos doadores de tal soma. Ele e seus colegas, Peter Föhn e Pirmin Schwander, também deputados do mesmo partido, apenas revelaram à imprensa que tirarão do bolso "uma soma módica".

Seguro ridículo

Em caso de perda ou destruição durante sua viagem aos EUA, o Pacto Federal está assegurado em um milhão de francos suíços. Essa soma é vista pelo grupo como "ridícula" devido aos riscos do longo trajeto. Aos jornalistas, os representantes do grupo declararam que não compreende "por que uma cópia não é enviada para a Filadélfia, ao invés do documento original".

O governo do cantão de Schwyz, onde o Pacto Federal fica normalmente guardado num museu, autorizou a viagem. Como explica Kaspar Michel, chefe do arquivo cantonal, "no intercâmbio entre museus é comum enviar documentos originais para exposições especiais". Ele e outros representantes se espantam com a intensidade das críticas.

A maior pressão vem não apenas dos partidos de direita, mas também do grupo Ação para uma Suíça Independente e Neutra (AUNS, na sigla em alemão), que já se destacou no passado por suas atividades contra os pactos bilaterais firmados entre a Suíça e a União Européia ou pelo fortalecimento das forças armadas.

Governo cantonal recusa venda

O Pacto Federal pertence ao cantão de Schwyz, que já declarou descartar qualquer possibilidade de vendê-lo. A viagem do documento justifica-se pela sua exibição pública no contexto do projeto "Swiss Roots" (Raízes Suíças). Nele estão previstas 120 atividades nos Estados Unidos, além da criação de um site na Internet para reunir os mais de um milhão de americanos que teriam raízes helvéticas.

O documento será exibido de 10 a 30 de junho no Museu Americano para a História da Constituição, na Filadélfia. Os custos do transporte serão assumidos pelo cantão de Schwyz. O museu expõe outros objetos importantes como a Declaração de Independência dos EUA de 1776, escrita em parte por Thomas Jefferson. Ela é a predecessora da Constituição de 1787 e existe no mundo em apenas vinte exemplares.

Cerca de um milhão de francos foram previstos para financiar o projeto "Swiss Roots". Além da Fundação Pro Helvetia, também outras organizações estão participando do programa como o Turismo Suíço e outros patrocinadores.

swissinfo com agências

Breves

O Pacto Federal é considerado um ícone da identidade nacional helvética. Nesse documento histórico, os cantões de Uri, Schwyz e Unterwalden firmam um pacto de ajuda mútua em caso de ataque.

Ele é apenas um dos vários pactos firmados no final do século XIII e início do século XIV entre os diversos vales para garantir a ordem e segurança.

Na realidade existe uma insegurança entre os historiadores de que o Pacto Federal tenha surgido exatamente em 1291. "Sua importância é seguramente maior hoje do que na sua época", diz um historiador da Universidade de Zurique.

Em 1936 foi construído pelo governo o Museu do Pacto Federal no cantão de Schwyz (centro), onde o documento encontra-se até hoje. Ele tem fundamental importância para a "defesa mental do país", como se dizia na época em que a Suíça estava ameaçada pelas tropas nazistas no tempo da Segunda Guerra Mundial.

End of insertion

Fatos

Em caso de perda ou destruição durante sua viagem aos EUA, o Pacto Federal está assegurado em um milhão de francos suíços.
O documento deve ser exposto em junho na Filadélfia, Estados Unidos, no contexto da "Swiss Roots", um projeto destinado a falar das origens suíças de um milhão de cidadãos americanos.
Atualmente 50 mil suíços vivem nos EUA.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?