Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Meio ambiente é a principal preocupação dos suíços

A população está preocupada com os fenômenos climáticos como as inundações de 2005.

(Keystone)

Os suíços estão mais preocupados com a degradação do planeta do que com o emprego, os custos da saúde pública e a segurança. É o resultado de uma pesquisa do Instituto MIS Trend.

Essa inquietação frente ao aquecimento global é mais acentuada entre as elites que, no entanto, são favoráveis à energia nuclear, ao contrário da maioria da população.

Publicada na última edição do semanário Hebdo, essa sondagem intitulada 'Sophia 2007' demonstra que 38% dos suíços citam "a situação ecológica do planeta" como preocupação principal. Em seguida são citados o desemprego (24%) e a insegurança (22%).

Além da amostra representativa de 1.200 suíços das três principais regiões lingüísticas do país, o Instituto MIS Trend questionou entre março e abril 400 personalidades da economia, administração, cultura e política.

A inquietação com o clima é ainda mais acentuada entre as elites (55%), seguida pela insegurança (16%). Por região, os mais preocupados com o meio ambiente são os suíços de língua francesa (41%), seguidos pelos de língua alemã (38%) e pelos de língua italiana (31%).

A preocupação também é maior entre as pessoas que se dizem politicamente de esquerda.

«Queremos leis»

Para conter o aquecimento climático, 58% dos suíços e dois terços dos líderes querem que o Estado adote normas severas e obrigatórias. "Um terço da população acham inclusive que a Suíça pode se dar ao luxo de medidas que prejudicariam sua competitividade internacional", escreve a Hebdo.

Com relação ao consumo de energia, dois terços da população acreditam que será possível "no futuro" reduzí-lo pela metade sem mudar o modo de vida.

56% dos suíços e a metade dos decididores estão, contudo, preocupados com o abastecimento energético do país dentro de 20 anos.

Energia nuclear divisa

Em sua maioria, a população opõe-se à construção de novas centrais nucleares (56% são contra), enquanto as elites são favoráveis (55%).

Os maiores opositores ao átomo são as pessoas de esquerda e as mulheres, enquanto os homens (47%), os jovens (46%) e os suíços-alemães (43%) estão mais próximos do "sim".

Em contrapartida, mais da pesquisa das pessoas questionadas nos dois grupos aceitaram a substituição das centrais nucleares atuais quando elas forem desativadas, dentro de 20 anos.

O preço da gasolina

Se os suíços estão dispostos a fazer esforços pelo meio ambiente, eles rejeitariam dobrar o preço da gasolina, mesmo que isso acarretasse uma redução dos prêmios dos seguros de saude.

Decididores e população empatam em 60% de rejeição. Os mais favoráveis à majoração do preço da gasolina são os suíços-alemães.

Todavia, 61% da população afirmam que poderiam viver sem carro (49% dos líderes). Quase oito em cada dez suíços poderiam deixar de viajar de avião, contra 46% entre os decididores. Os dois grupos aceitariam a introdução uma taxa sobre as viagens aéreas.

Enfim, a gratuidade dos transportes públicos nas principais cidades e a proposta de reduzir pela metade as passagens de trem teriam uma forte adesão da população, mas os decididores não concordariam.

swissinfo com agências

Carros grandes

Mesmo se os suíços consideram o meio ambiente como preocupação principal, eles continuam comprando carros grandes que consomia muito combustível e agravam o efeito estufa.

O peso médio dos automóveis vendidos na Suíça amentou de 13 kg no ano passado, chegando a 1,49 tonelada. Isso anula a eficiência dos motores obtida mediante progressos técnicos.

Segundo a Secretaria Federal de Energia, o consumo médio de combustível caiu 0,65% em 2006, atingindo a média de 7,62 litros por 100 km. O objetivo fixado conjuntamente entre importadores (a Suíça não fabrica automóveis) e governo - 6,9 litros por 100 km - não foi portanto atingido.

Quarta-feira, o governo decidiu adiar a obrigatoriedade do filtro de partículas para os veículos diesel para 2009. O argumento é adotá-la ao mesmo tempo que a União Européia.

Mais de 70% dos veículos novos a diesel vendidos na Suíça são dotados do filtro de partículas.

Aqui termina o infobox


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×