Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Mercado de arte Art Basel cancela sua feira em Hong Kong por causa da pandemia

art basel hong kong

Visitante tira foto de uma obra do artista americano, nascido em Barbados, Ashley Bickteron durante a Art Basel Hong Kong em 2019

(Copyright 2019 The Associated Press. All Rights Reserved.)

A feira de arte anual Art Basel Hong Kong, responsável por um dos maiores volumes de vendas no mundo, foi cancelada, enquanto a cidade lida com o surto de coronavírus.

A organização internacional de arte anunciou na quinta-feira que o show, programado para 19 a 21 de março no Centro de Convenções e Exposições de Hong Kong, não será mais realizado.

Atendendo aos crescentes mercados asiáticos, a Art Basel Hong Kong começou em 2013 como uma derivação da Art Basel, a maior feira de arte do mundo.

A Art BaseLink externol disse que "não tem opção" a não ser cancelar a próxima edição da sua feira em Hong Kong.

“Inúmeros fatores influenciaram essa decisão, incluindo: preocupação fundamental pela saúde e segurança de todos os que trabalham e participam da feira; os severos desafios logísticos enfrentados na criação e no trânsito de obras de arte para a mostra; e as dificuldades crescentes que complicam as viagens internacionais, todas resultantes do surto do coronavírus”, afirmou o comunicado.

Marc Spiegler, diretor global da Art Basel, disse que levou em consideração primeiramente as pessoas afetadas pelo vírus. “A decisão de cancelar a Art Basel Hong Kong foi extremamente difícil para nós… Estamos cientes do importante papel que a feira desempenha no cenário cultural da região e em nossas galerias, tanto na Ásia quanto no mundo. Nossa equipe dedicou muito tempo e esforço para garantir que nosso show em março fosse um sucesso ao longo do ano passado. Infelizmente, o surto repentino e a rápida disseminação do novo coronavírus mudaram radicalmente a situação. ”

A situação

Hong Kong registrou sua primeira morte pelo vírus na terça-feira. As autoridades locais confirmaram 22 casos, dois deles críticos, com pelo menos seis dos últimos casos transmitidos localmente.

O vírus, que se acredita ter se originado na cidade chinesa de Wuhan, matou até agora mais de 630 pessoas e infectou mais de 31.000, a grande maioria delas na China continental.


swissinfo.ch/ets, Reuters/Art Basel/ilj

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.