Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Ministro da Economia anuncia que sai do governo

Joseph Deiss ficou sete anos no governo.

(2005 Béatrice Devènes/Pixsil)

O ministro da Economia Joseph Deiss, do Partido Democrata-Cristão, criou a supresa quinta-feira, ao anunciar sua demissão.

Seu sucessor será eleito pelo Congresso suíço na sessão parlamentar do verão 2006.

Aos 60 anos, o ministro da Economia e democrata-cristão de Friburgo, Joseph Deiss, pegou todo o mundo político de surpresa, anunciando sua renúncia na manhã de quinta-feira (27), após sete anos no governo. O último ministro em exercício a deixar o governo federal fora Kaspar Villiger, em 2003.

Os sete ministros que compõem o governo federal suíço (Conselho Federal) são eleitos pelo Parlamento e não têm mandato fixado. Kaspar Villiger ficara no governo quase 15 anos. Jean-Pascal Delamuraz ficara mais de 14 anos e Ruth Dreiffus 10 anos.

Renovação

Diante da imprensa no Palácio Federal, em Berna, Joseph Deiss explicou qua saía "livremente, sem pressões, quando tudo vai bem". Referia-se ao bom desempenho atual da economia suíça, que deverá crescer mais de 2% este ano, como concordam todas as previsões, após anos de estagnação.

Alavancada pelas exportações, a Suíça registra o maior recuo do desemprego dos últimos 6 anos, com taxa média de 3,6% da população ativa.

Em sua carta de demissão endereçada ao presidente da Câmara, Claude Janiak, Joseph Deiss afirma que está na hora de "ceder seu lugar às novas forças".

- Faz 25 anos que estou na política e acho que é suficiente. É preciso tomar essa decisão quando o instinto fala. Para mim, é agora", declarou Deiss à imprensa.

Eleito em 1999

Joseph Deiss foi eleito para o Conselho Federal (governo federal suíço) em 11 de março de 1999. Sucedeu então a Flavio Cotti (outro democrata-cristão) no Ministério das Relações Exteriores (DFAE).

Em janeiro de 2003, quando de um remanejamento no governo, passou a ocupar o Ministério da Economia (DFE). Em 2004 foi presidente da Suíça, no sistema de rotação em que cada ministro acumula a presidência durante um ano.

Durante a sessão de verão (de 6 a 23 de junho), o Parlamento elegerá o sucessor de Joseph Deiss, que também ser do Partido Democrata-Christão.

Os sete ministros do governo federal representam os quatro maiores partidos políticos do país. Atuamente são um do Partido Democrata Cristão (centro-direita), dois do Partido Radical (direita), dois do Partido Socialista (esquerda) e dois da União Democrática do Centro (direita populista).

swissinfo com agências

Fatos

Joseph Deiss foi eleito para o governo (Conselho Federal), em 11 de março de 1999.
Ele sucedeu a Flávio Cotti no Ministério das Relações Exteriores (DFAE).
Em janeiro de 2003, quando de um remanejamento ministerial, ele assumiu a Ministério da Economia (DFE).

Aqui termina o infobox

Breves

- O Partido Democrata-Cristão (PDC) perdeu um de seus representantes no governo federal no final de 2003. Depois disso, o partido voltou a crescer nas eleições cantonais (estaduais).

- Segundo diversos analistas, a renúncia antecipada de Joseph Deiss tem o objetivo de reforçar a posição do partido nas eleições legislativas federais de outubro de 2007.

- Nos próximos meses, as atenções estarão voltadas para o PDC e a sucessão do ministro.

- Na Suíça, as 7 cadeiras ministeriais que formam o governo federal são divididas entre os 4 maiores partidos políticos, em função do peso eleitoral.

- O equilíbrio entre as três maiores regiões linguísticas também é importante.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×

Destaque