Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Ministro falou de direitos humanos na Tunísia

Pressionado pela imprensa suíça, o ministro das Relações Exteriores Joseph Deiss abordou o caso do jornalista Ben Brick, em greve de fome, durante sua viagem à Tunísia. Inicialmente, Deiss pretendia falar apenas de direitos humanos em geral.

A questão era delicada para o chefe da diplomacia suíça, Joseph Deiss. Finalmente ele resolveu falar abertamente com o ministro tunisiano das Relações Exteriores, Habib Ben Yahia.

O jornalista tunisiano Taoufik Ben Brick trabalha para uma agência de imprensa suíça e está em greve de fome para defender a liberdade de expressão em seu país. Por duas vezes, ele foi impedido de viajar para a Suíça e teve seu passaporte rasgado no aeroporto de Tunis. Ben Brick declarou recentemente a uma Rádio suíça que, na Tunísia, não matam os jornalistas mas matam o jornalismo.

Terça-feira, em Cartágena, Deiss entregou ao chefe da diplomacia tunisiana um pedido oficial para que o caso do jornalista seja resolvido o mais rapidamente possível. O documento cita um relatório da Comissão de direitos humanos da ONU, criticando a falta de liberdade de expressão na Tunísia.

Terça-feira (02/5) à noite, o Partido Socialista suíço e a seção suíça da Anistia Internacional consideraram que dado um "primeiro passo" no caso do jornalista tunisiano.


swissinfo com agências.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.