O ministro francês da Economia, Bruno Le Maire, defendeu nesta sexta-feira (5) o polêmico acordo entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, enquanto também pediu vigilância com as condições da aplicação, disse ao canal francês de televisão BFMTV.

"É preciso ser muito vigilante com a aplicação do acordo do Mercosul, para nos assegurarmos que produtores do Mercosul respeitem as mesmas normas sanitárias, ambientais, de bem-estar dos animais, que nós, garantir que respeitam as garantias que deram", declarou o ministro durante um fórum econômico em Aix-en-Provence (sul).

A UE e o Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) chegaram a um acordo em 28 de junho sobre um amplo tratado de livre-comércio negociado durante 20 anos, que afeta cerca de 770 milhões de consumidores.

Bruno Le Maire defendeu este tratado - classificado como um "duro golpe para a agricultura" e de "engano" pela presidente da Federação francesa do Sindicato de Agricultores, Christiane Lambert - em nome dos interesses dos exportadores.

"A riqueza dos agricultores, os produtores de leite, de carne suína, bovina, é a capacidade de exportar nossos produtos, porque gera riqueza na França", declarou.

Em uma tentativa de tranquilizar, o ex-ministro da Agricultura acrescentou que "há uma cláusula de salvaguarda prevista, pedida explicitamente pelo [presidente] Emmanuel Macron pela qual, se nossos compromissos não forem respeitados, podemos suspender imediatamente a aplicação do acordo".

Por fim, ele ressaltou que o tratado ainda estava longe de entrar em vigor.

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.