Navigation

Ministro otimista com vitória em Turim

Samuel Schmid (centro) assiste a cerimônia do içar das bandeiras. Keystone

O ministro suíço de Esportes participou ontem (10 de fevereiro) da cerimônia de recepção da equipe helvética e do içar das bandeiras nacionais na vila olímpica de Turim.

Este conteúdo foi publicado em 10. fevereiro 2006 - 10:15

Samuel Schmid visitou o centro internacional de imprensa e deu uma pequena entrevista à swissinfo.

Depois de chegar pela manhã num avião proveniente de Berna, o ministro suíço da Defesa, Proteção Civil e dos Esportes desejou pessoalmente sorte para os atletas da seleção helvética presentes durante a cerimonia do içar de bandeiras.

Samuel Schmid apreciou a acolhida simples que a prefeitura de Turim organizou para a delegação do país dos Alpes. O político fica na Itália até o domingo. No primeiro dia de viagem, ele deu uma entrevista à swissinfo ao visitar o centro de imprensa do Comitê Olímpico.

Qual foi seu sentimento ao ver a bandeira suíça sendo içada em Turim?

Samuel Schmid: Para mim foi muito importante, assim como para os nossos atletas. Foi um ato simbólico que tocou profundamente os sentimentos dos suíços presentes. Isso dá a motivação necessária para que a nossa delegação dê o máximo de si nas pistas e, quem sabe, até trazer algumas medalhas para a casa.

Por outro lado, não é estranho imaginar que a Olimpíada de Turim poderia ter sido organizada em Sion, na Suíça?

S.S: Essa foi uma decisão democrática (do Comitê Olímpico Internacional) e temos de aceitar. Vemos que a organização em Turim é excelente e eu estou seguro que as competições também terão uma boa qualidade. Agora temos é de pensar na vitória da nossa equipe. Isso é mais importante do que ter a competição na Suíça.

Quais são suas expectativas?

S.S: Todo mundo me diz que isso é impossível, mas eu não tenho dúvida. Nossa equipe vai ter pelo menos nove medalhas.

Como ministro suíço da Defesa, Proteção Civil e dos Esportes, você ratificou na quarta-feira um acordo internacional permitindo assegurar a segurança do espaço aéreo contra as ameaças não militares. O que significa concretamente esse acordo?

S.S: Já temos um acordo semelhante com a França e pretendemos agora negociar outros com nossos vizinhos. Para assegurar a proteção aérea da Suíça, isso é muito importante. Devemos ter uma estreita colaboração com esses países, sobretudo no momento onde um organiza um grande evento internacional como as Olimpíadas. Por isso estou satisfeito que o presidente da Itália tenha assinado o papel ontem a noite.

O esquema de segurança aplicado em Turim poderá servir de exemplo no Euro 2008?

S.S: Nos últimos anos já avaliamos diversos eventos de grande envergadura. Estivemos em Atenas, Portugal e também estamos fazendo contatos com os alemães por causa da Copa. Ao mesmo tempo vamos avaliar a Olimpíada em Turim. Espero que a proposta apresentada pelo governo ao Parlamento, de um crédito de 72 milhões de francos para a segurança, seja aprovada.

swissinfo, Mathias Froidevaux

Fatos

Os Jogos Olímpicos de Turim ocorrem de 10 a 26 de fevereiro.
Samuel Schmid, ministro dos Esportes da Suíça, estará presente entre 9 e 12 de fevereiro.
A delegação suíça é composta por 130 atletas.
O Comitê Olímpico da Suíça espera oito medalhas. O ministro....nove.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?