Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Ministro quer proibir álcool no Euro 2008

Samuel Schmid aposta num Euro 2008 sem violência.

(Keystone Archive)

Na perspectiva do Campeonato Europeu de Futebol 2008, o ministro suíço do Esporte Samuel Schmid defende medidas severas para combater a violência de hooligans.

Em entrevista, Schmid sugeriu a proibição da venda de bebidas alcoólicas nas proximidades dos estádios de futebol e identificação biométrica de torcedores.

Essa tomada de posição ocorre poucos dias após a visita do ministro suíço da Defesa, Esportes e Defesa Civil a Portugal, onde ele se encontrou com Leonel de Carvalho, ex-responsável pela segurança do Campeonato Europeu de Futebol 2004, e o ministro português da Defesa, Luís Amado.

- Pessoalmente eu apóio a proibição da venda de bebidas alcoólicas nas proximidades dos estádios de futebol - declarou Schmid à imprensa suíça.

No jornal "Le Matin" e no "SonntagsZeitung", ele afirma que vê no consumo de álcool um estímulo a atos de violência, mas ressalta que uma proibição só poderia ser tomada pelos cantões. Também a planificação é uma tarefa das polícias cantonais.

Em março, o ministro já havia lembrado que o governo federal não tem competência legal para resolver as questões ligadas ao hooliganismo, o que havia levado a Câmara dos Deputados a rejeitar uma proposta visando proibir a venda de bebidas alcoólicas no exterior dos estádios.

A Suíça ainda não está pronta

Lembrando os recentes tumultos ocorridos após uma partida de futebol na Basiléia entre o FC Basel e o FC Zürich, Samuel Schmid os qualifica de "choque saudável".

Como explica o ministro, os incidentes mostraram que a Suíça não foi poupada do fenômeno da violência no futebol e que ela não está pronta para enfrentá-la.

Na perspectiva do Campeonato Europeu de Futebol 2008, evento que será organizado pela Suíça em conjunto com a Áustria, o governo federal solicitou apoio do Parlamento para aprovação de uma lei contra o hooliganismo. Este prevê a criação de um banco de dados para registrar torcedores violentos e outras medidas como prisão preventiva ou a proibição de aproximação dos estádios.

Se inspirando na lei "anti-hooligan" alemã, a Suíça, a Suíça adotou uma lei federal instituindo medidas para manter a segurança interior. Porém, contrariamente a outros países, o povo suíço pode teoricamente anulá-la. Esse perigo vem de um referendo popular lançado por um grupo de torcedores. Estes necessitam recolher mais de 50 mil assinaturas até 13 de julho de 2006 para que a proposta de lei seja colocada em voto popular.

De 8 mil a 10 mil soldados

Na época do campeonato, entre 8 e 10 mil soldados serão necessários para garantir a segurança, estima Samuel Schmid. Porém ele lembra que o exército suíço só irá intervir caso seja solicitado pelos cantões. Os cursos de repetição - que existem para dar formação contínua aos soldados - serão planejados para possibilitar a disposição dos homens.

Os cantões também deverão decidir se eles necessitam dos aviões não-tripulados do exército, que podem ser utilizados para observar e controlar movimentos dos torcedores. O ministro não se opõe às duas medidas preventivas. "Porém a proteção da esfera privada deve ser respeitada no caso desses aparelhos entrarem em ação", afirma Schmid. A mesma proteção deve ser dada na utilização de dados biométricos dos torcedores, um método que também é aprovado pelo governo federal.

Aumento de custo

Quanto aos custos ligados à segurança (65 milhões de francos previstos), o ministro da Defesa não exclui que estes podem aumentar consideravelmente até o início do campeonato.

Em relação aos 10,5 milhões de francos solicitados pelas cidades organizadores, o governo federal "pede razão" e usará de toda sua influência "para dar preferência à solução mais generosa".

A Associação Suíça de Futebol (ASF) foi conclamada por Schmid a participar ativamente das questões que envolvem segurança, assim como dos clubes de torcedores. Para o ministro da Defesa e dos Esportes, a questão da segurança nos estádios deve encontrar uma solução.

A ASF e a União das Associações Européia de Futebol (UEFA) devem igualmente se mostrar ativas no tema da luta contra a prostituição.

swissinfo e agências

Fatos

A nova lei federal prevê medidas para manter a segurança interior como confiscar material de propaganda que incentive a violência, prisão preventiva e identificações de potenciais hooligans.
Outras medidas são interdições de entrada nos estádios ou mesmo restrições de viagem.
A detenção preventiva pode ser de até 24 horas.
O Parlamento helvético decidiu que a lei terá uma aplicação limitada até 2009.

Aqui termina o infobox

Breves

- O Campeonato Europeu de Futebol 2008, também conhecido como "Euro 2008" será organizado em conjunto pela Suíça e Áustria.

- O primeiro jogo será realizado em 7 de junho de 2008 na Basiléia. O jogo final será em 29 de junho em Viena.

- Quinze das 31 partidas ocorrem na Suíça: seis na Basiléia, três em Zurique, assim como em Berna e Genebra.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×