Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Muçulmanos festejam Ramadan na Suíça

310 mil muçulmanos começam a festejar o Ramadan na Suíça.

(Keystone)

Muçulmanos do mundo inteiro iniciaram na quarta-feira o Ramadan, sua maior festa. 310 mil muçulmanos que vivem na Suíça participam também dessa cerimônia.

Durante um mês, fiéis islâmicos não devem comer e beber entre o nascer do dia e o pôr-do-sol.

"Já criança eu vivia na minha casa e na escola, que o jejum é uma oportunidade oferecida a cada pessoa para pensar naqueles que sofrem de fome, seja no meu país ou fora dele. Esse momento de reflexão é o primeiro passo para a solidariedade entre ricos e pobres", afirma Kamel Dhif, da Tunísia, vivendo há mais de dez anos na Suíça.

Para Elham Manea Knecht, do Iêmen e há mais sete anos na Suíça, o ramadan significa mais: - "Trata-se de treinar a perseverança e a espiritualidade, que me trazem então a satisfação interior".

4,5% da população suíça

A comunidade muçulmana na Suíça representa 310 mil pessoas, ou seja, 4,5% da população, segundo os dados recolhidos pelo recenseamento federal de 2000. Desde 1990 esse número dobrou. Trata-se de uma grande evolução levando-se em conta que nos anos 70 não havia mais de 20 mil muçulmanos vivendo no país.

Hoje em dia, o Islamismo é a segunda maior religião da Suíça após o cristianismo. Se há vinte anos só existiam três mesquitas na Suíça (duas em Genebra e uma em Zurique), hoje existem mais de 90, denominadas em grande parte de "Centros Culturais Islâmicos",

De acordo o presidente da Liga Muçulmana na Suíça, Mohamed Karmous, a participação no Ramadan é alta para todos os muçulmanos vivendo no país. "Mais da metade da sociedade islâmica suíça participa dessa festa religiosa", afirma Nabil Arab, diretor do Centro Islâmico de Basel.

Ramadan não impede divisões no Islamismo

Apesar da importância religiosa, o Ramadan não suprime as divisões existentes entre os muçulmanos de língua árabe. Existem aqueles que são próximos de correntes do Islã como os "Irmãos Muçulmanos" e outros que são influenciados pelo "Wahhabismo " da Arábia Saudita, e também existem os sufistas. Muçulmanos originários dos Bálcãs e da Turquia, que correspondem a maior parte dos fieis vivendo na Suíça, estão organizados em mesquitas que abrigam pessoas das suas próprias nacionalidades.

swissinfo/Alexander Thoele

Breves

-Existem 310 mil muçulmanos vivendo na Suíça.
-Trata-se de 4,5% da população total.
-O Islã é a segunda maior religião na Suíça, depois do cristianismo.

Aqui termina o infobox


Links

×