Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Multa salgada Credit Suisse vai pagar 5,3 bilhões aos Estados Unidos na crise das subprimes

Credit Suisse fechou um acordo com o Departamento americano da Justiça (DoJ) no caso dos créditos imobiliários de risco. O segundo maior banco suíço pagará aos Estados Unidos 5,3 bilhões de dólares no total.



Em troca da multa, o Departamento americano da Justiça abandonará o inquérito contra o Credit Suisse. 

Em troca da multa, o Departamento americano da Justiça abandonará o inquérito contra o Credit Suisse. 

(Keystone)

O banco vai pagar uma multa de 2,48 bilhões de dólares, mais 2,8 bilhões de indenização aos clientes. Em troca, o DoJ abandonará os inquéritos relativos à venda de títulos hipotecários antes da crise financeira de 2008, comunicou hoje (23) o Credit Suisse.

A origem da crise financeira

O inquérito começou em 2012, quando Barack Obama reclamou contas au setor bancário acusado de ter comercializado produtos financeiros ligados a créditos hipotecários duvidosos sem prevenir os investidores dos riscos.

Esses produtos financeiros "tóxicos" eram derivados de créditos subprime, esses empréstimos imobiliários propostos nos Estados Unidos a pessoas insolventes e baseados em estimativas sobrevalorizadas dos bens imobiliários. Eles provocaram a crise financeira de 2007-2009.

Aqui termina o infobox

Os fatos remontam ao período 2005-2007. O CS vai vai lançar um montante em torno de 2 bilhões de dólares, antes do imposto, no quarto trimestre para financiar essa multa.

O banco acrescenta que o acordo ainda deve ser aprovado por seu conselho de administração.

Outros bancos também

Sexta-feira, o Deutsche Bank tambmbém concluiu um acordo com o DoJ. O banco alemão pagará 3,1 bilhões de dólares aos Estados Unidos.

Outros establecimentos processados por práticas similares tiveram de negociar com o Ministério da Jutiça. Três grandes bancos americanos, JPMorgan Chase, Citigroup e Morgan Stanley, aceitaram pagar um total de 23 bilhões de dólares para interromper os processos ligados aos créditos imobiliários tóxicos convertidos em produtos financeiros (RMBS). O recorde coube ao Bank of America, multado em 16,65 bilhões de dólares em 2014,

UBS também

O UBS -maior banco suíço - Também tem queixas civis e inquéritos do DoJ. O banco já fez provisões de 988 bilhões de dólares para resolver seus litígios. 

Em2013, o UBS já pagou multa de 885 milhões de dólares no mesmo caso. No ano seguinte, no mesmo dossiê, o Credit Suisse também pagou 885 milhões.

Os bancos europeus Barclays, Royal Bank of Scotland (RBS) também são processados pelas autoridades americanas.

Fim do litígio fiscal para Raiffeisen

O banco suíço Raiffeisen encerrou seu litígio fiscal com os Estados Unidos. O terceiro banco suíço não deverá pagar multa às autoridades americanas. 
O acordo fechado com o Ministério da Justica é relativo a todos bancos de estabelecimento financeiro e suas sucursais. Raiffeisen se inscreveu em dezembro de 2014, na categoria 3 do programa de regulação fiscal elaborado pelos Estados Unidos. Essa categoria era destinadas aos bancos que não infringiram o direito penal americano.

Ontem o banco privado de Zurique Vontobel, também inscrito na categoria 3, indicou que também não deverá pagar multa aos Estados Unidos. Em julho, o banco cantonal de Turgóvia  (TKB) teve a mesma solução.

Aqui termina o infobox

swissinfo.ch com agências

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×