Navigation

"A Suíça foi uma pioneira das estações de tratamento"

"Sem água, não há vida!" Essa afirmação aparentemente simples motiva Beat Ammann há muitos anos a engajar-se pela despoluição de rios e lagos do país. Há quinze anos ele é diretor da ARA Berna, uma das maiores estações de tratamentos de água e esgotos da Suíça.

Este conteúdo foi publicado em 08. junho 2017 - 10:12

A estação trata das águas residuais de 280 mil lares e empresas de 13 comunas. Em 2017 ela completou 50 anos de funcionamento. Diariamente mais de 90 milhões de litros de águas são depurados pelos seus filtros e sistemas.

A ARA BernaLink externo é considerada uma das estações de tratamento de águas mais modernas da Europa. Ela não apenas elimina os resíduos, mas também aproveita o que sobre: a lama residual é utilizada na produção de biogás, que vai suprir depois a Central de Produção de Energia de Berna. Essa energia faz movimentar os ônibus do transporte público da cidade de Berna, dentre outros.

A ARA Berna é organizada como uma empresa pública. A maior parte das estações pertence às cidades ou estão ligadas às associações comunais. Grandes investimentos necessitam decisões políticas ou até mesmo plebiscitos, o que pode muitas vezes exigir tempo. No caso da empresa em Berna, as decisões são tomadas pelo conselho de administração, o que significa, mais rapidez nos processos.

A ARA Berna pertence ao grupo de estações de tratamento que irá no futuro fazer a depuração de micro-poluentes dos esgotos locais. A instalação de novos filtros deverá estar pronta até 2022, a um custo de 23 milhões de francos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.