Empresas ajudam cônjuges expatriados a se integrarem

É difícil se estabelecer na Suíça e fazer amigos, de acordo com uma nova pesquisa sobre os expatriados. Mas há uma ajuda para os cônjuges expatriados acelerarem na integração. (SRF/swissinfo.ch)

Este conteúdo foi publicado em 08. setembro 2017 - 15:30
swissinfo.ch/fh

A pesquisa Expat Insider 2017 foi publicada pela InterNations, a "maior rede de expatriados do mundo". De acordo com a pesquisa, quando se trata de se sentir bem-vindo, a Suíça faz muito mal, ficou em 61º lugar de 65 países.

Os expatriados na Suíça consideram os suíços reservados (78%), distantes (57%), tradicionais (64%) e não muito dinâmicos (54%). Um entrevistado dos EUA disse que "as pessoas na Suíça são amigáveis, mas na verdade não estão procurando amigos".

Mas há ajuda disponível, pelo menos para os cônjuges expatriados. Em Zug, por exemplo, as autoridades locais oferecem cursos sobre os costumes suíços e como funcionam as escolas locais. Muitas empresas até oferecem empregos para cônjuges ou envolvem empresas externas para ajudá-los a encontrar trabalho.

Em Basileia, todos os estrangeiros que se mudam para a cidade são convidados para um bate-papo de boas-vindas, onde aprendem sobre a importância da língua alemã, dos costumes locais e dos serviços de integração. Os imigrantes da Basileia também podem participar de aulas gratuitas de alemão durante o primeiro ano.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo