Navigation

Primeira mulher a pilotar avião de caça no Exército suíço

Pela primeira vez na história, uma mulher irá pilotar um avião de caça na Suíça: Fanny Chollet, uma jovem originária da parte francófona do país.

Este conteúdo foi publicado em 21. fevereiro 2019 - 13:50

Primeira-tenente do Exército suíço, Fanny é conhecida pelos amigos pelo apelido de "Shotty" Ela recebeu seu brevê em 2017. Um ano depois completou cursos que a qualificaram para pilotar os jatos de combate F/A-18 Hornet. Desde o começo do ano ela faz parte da equipe de pilotos de caça. Aos 28 anos de idade, a suíça é originária do cantão de Vaud. Na cabine do avião será capaz de atravessar o país a velocidades de até 1.900 km/h.

As leis foram mudadas em 2004 para permitir que as mulheres se tornassem pilotos de caça na Suíça. Até hoje, apenas 0,7% dos efetivos nas forças armadas helvéticas são mulheres. Segundo as estatísticas oficiais, até o início de 2018, elas totalizavam 995: 383 soldados, 223 oficiais não-comissionados, 95 oficiais superiores e 294 oficiais. Desde o início de 2019, a Força aérea conta com um efetivo de 136 mulheres. Chollet e outras seis mulheres são as únicas pilotos. Suas colegas pilotam helicópteros.

Falta de efetivos

Uma das razões para o número escasso de mulheres no Exército suíço é que o serviço militar é obrigatório apenas para homens.

"É mais difícil para as mulheres alcançarem posições elevadas, pois elas têm de se voluntariar para servir o Exército e depois frequentarem uma escola de formação de oficiais", diz o brigadeiro-do-ar Bernhard Müller,

Na Suíça, o ministro das Forças Armadas é uma mulher: Viola Amherd, que desde o início 2019 faz parte do Conselho Federal, o corpo de sete ministros que governa o país.

Para apresentar a primeira piloto mulher, o Exército suíço convidou jornalistas para uma coletiva de imprensa no aeródromo militar de Payerne. Uma reportagem da televisão suíça SRF.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.