Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Museu de Arte de Berna Exposição traça origem de obras de arte

O Museu de Arte de Berna busca liderar os museus suíços na pesquisa de proveniência, uma decisão tomada após herdar a controversa coleção do alemão Cornelius Gurlitt. Sua nova exposição intitulada "Novos Mestres" mostra esse caminho.

A exposição intitulada "Novos Mestres" quer traçar as rotas das pinturas realizadas por artistas como Franz Marc, Ernst Ludwig Kirchner, Paul Klee e Otto Dix até entrar na coleção do museu em Berna. Das 525 pinturas adquiridas pela instituição depois de 1933 e produzidos antes de 1945, existem dúvidas em relação à procedência de 337 delas, como revelou o jornal suíço "Berner Zeitung". O museu planeja iniciar com nesse ano com um projeto de proveniência das obras, revelou o diretor Matthias Frehner ao jornal. "Essa é uma grande tarefa", disse.

Algumas das obras poderão eventualmente retornar aos seus legítimos proprietários do período anterior à guerra. "Dunas e o Mar", por exemplo, uma pintura de Kirchner foi adquirida pelo museu em 2000. Ela havia sido confiscada pelas autoridades nazistas como parte de uma campanha contra a chamada "arte degenerada".

Enquanto as obras que pertenciam a museus alemães não foram ainda reclamadas por pedidos legais de restituição, os pesquisadores estão investigando se essa pintura particular foi um empréstimo de um colecionador privado, que deveria ter sido restituída.

O museu ainda está à espera de uma solução para a herança que recebeu: a controversa coleção de arte do alemão Cornelius Gurlitt. Quando este faleceu em 2014, ele deixou cerca de 1.500 obras escondidas em suas duas residências ao Museu de Arte de Berna. Uma prima alega, porém, que o colecionador não estava em condições mentais de poder assinar o testamento.

A direção do museu em Berna afirma não ter interesse em manter obras, cuja procedência esteja ligada a qualquer ato arbitrário cometido na Alemanha nazista. Até então, cinco obras da coleção de Gurlitt foram identificadas como obra de pilhagem e recomendada a restituição aos seus proprietários judeus.

O Museu de Berna coopera com outra instituição de arte na Alemanha, a Bundeskunsthalle em Bonn, na organização de uma exposição dupla da coleção de Gurlitt, aberta no inverno e com previsão de término em 2017.

(Texto: CathyHickleyLink externo. Hickley é autora do livro "The Munich Art HoardLink externo", que conta a extraordinária história da coleção Gurlitt)