Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Regiões de conflito "Vou continuar no Mali"

Erika Maier saiu da Suíça para abrir um hotel no Mali, na África. Apesar da eclosão de uma guerra civil e a falta de turistas, ela recusa-se a abandonar o país. Mas foi exatamente o conflito que trouxe os tão esperados hóspedes.

A suíça Erika Maier, 60 anos, decidiu há quatro anos mudar a sua vida para abrir, junto com o seu parceiro, um hotel em Koulikoro, no Mali. Em 2012 o Hotel "Nanagaleni" já estava de pé. Foi quando um golpe de Estado e a guerra civil subsequente acabaram espantando os turistas.

O conflito, que até hoje marca o país, terminou sendo uma benção para a corajosa empreendedora, mesmo se o grande número de hóspedes abrigados no local portarem uniformes militares e armamento. Eles são oficiais franceses, a antiga potência colonial, presentes no Mali para expulsar os islamistas; oficiais de treinamento oriundos de países europeus e também funcionários de ONGs.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.