Navigation

"A tradição dos presépios na Suíça é muito antiga e profundamente enraizada"

Visão geral da exposição no Museu Nacional Suíço em Zurique. Musée national suisse

No mês de dezembro, os presépios decoram os interiores de milhões de lares em todo o mundo. Na Suíça, também, essa tradição ainda está muito viva. Neste ano de 2020, é justamente à produção local de presépios que o Museu Nacional Suíço dedicou uma exposição.

Este conteúdo foi publicado em 23. dezembro 2020 - 11:00

Há muitos anos, sempre durante o período natalino, o museu recebe exposições voltadas para a exibição de presépios. Para o público, essa é a oportunidade de conhecer a multiplicidade de formas que são dadas a tal tradição natalina ao redor do mundo.

Este ano, é a produção local que será homenageada pelo museu, localizado na cidade de Zurique. Até o dia 10 de janeiro (se as medidas contra a Covid-19 permitirem), o público poderá apreciar 25 presépios suíços, com um destaque especial aos presépios vindos de conventos femininos. Além disso, o museu também conta com a exposição de calendários históricos do Advento – período de um mês que antecede o Natal –, a maioria dos quais foi concebida por grandes nomes da ilustração.

Para a curadora da exposição, Andrea Franzen, a antiga tradição dos presépios mantém-se atual em nossos tempos modernos.

Os presépios feitos pelas freiras são frequentemente instalados em vitrines. Suas figuras de cera retratam a Natividade ou o Menino Jesus em grandes detalhes. Este modelo vem do convento de freiras de Hermetschwil (cantão da Argóvia), século XVIII. Musée national suisse

swissinfo.ch: Em que época os presépios realmente se popularizaram nos lares suíços?

Andrea Franzen: O nascimento de Jesus tem sido retratado com estatuetas desde o século XVII. Como as peças eram feitas à mão, custavam muito caro, razão pela qual os presépios eram encontrados principalmente nas igrejas e nos lares de famílias ricas.

No final do século XIX, houve uma difusão de presépios com peças de papel, voltados para o uso privado. Eles apresentavam as vantagens de terem um bom preço e de serem montados e desmontados facilmente. O seu preço e a sua fácil utilização contribuíram para a popularização dos presépios em uma faixa mais ampla da população.

Presépio dobrável feito de papelão e papel com motivos de inverno fabricado por volta da década de 1920 na Suíça ou na Alemanha. Musée national suisse

Há alguma particularidade ou especificidade nos presépios suíços em comparação àqueles de outros países?

Aqui na Suíça, as antigas figuras do século XVII e XVIII são vestidas e seus membros removíveis são esculpidos em cera ou madeira. A estrutura é feita de madeira ou arame, sendo envolvida com tiras de linho. Essa maneira de fazer as esculturas corresponde ao modo típico do sul da Alemanha, região com a qual a Suíça possui diversas proximidades culturais.

Os presépios da região de Oberland Bernês, no cantão de Berna, são fabricados com madeira de tília e podem ser considerados verdadeiramente característicos da Suíça. Desde o século XIX, a comuna de Brienz, que fica na região, é referência no que diz respeito à escultura em madeira. Seus escultores mais célebres são Hans Huggler-Wyss e Paul Zumstein. Em 1900, Hans Huggler-Wyss fundou em Brienz uma sociedade que até hoje é de grande sucesso. Foi ela que produziu, em 1915, as primeiras figuras esculpidas à mão e fabricadas em série na Suíça.

As figuras de presépios moldadas em argila, como no costume italiano, tornaram-se conhecidas na Suíça apenas no fim do século XVIII e, majoritariamente, durante o século XIX.

Figuras de barro de Maria com o Menino Jesus e um pastor. Estas peças foram produzidas em Einsiedeln (Schwyz) por volta de 1820. Musée national suisse

Qual é a popularidade dos presépios atualmente? É uma tradição que está sendo perdida ou ela ainda permanece forte?

A tradição dos presépios é ainda bastante difundida em diversos locais. Vizinho à Itália, o cantão de Ticino, por exemplo, possui seus próprios costumes na montagem de presépios, colocando-os ao ar livre e criando conjuntos de vários deles.

Além disso, as figuras esculpidas e os presépios da sociedade Huggler AG, de Brienz, são ainda muito populares. Vale notar, todavia, que, entre a geração mais nova, a tradição de contar os dias até o Natal usando os calendários do Advento é, talvez, mais popular do que a montagem de presépios.

"Para o Reino do Menino Jesus": Calendário de Advento feito por volta de 1910. Musée national suisse

Nos últimos anos, tem havido algumas polêmicas acerca de presépios em espaços públicos. Foi o caso de quando solicitaram a retirada de um presépio das ruas da cidade de Neuchâtel, bem como o caso do projeto controverso que propunha a montagem de um presépio na frente do Palácio Federal da Suíça, em Berna. Em uma sociedade cada vez mais secularizada, e que deseja não ofender as minorias, ainda há lugar para presépios fora das igrejas e dos lares?

Na minha opinião, os projetos executados no espaço público devem sempre refletir as ideias e opiniões do maior número possível de pessoas diferentes – independentemente de sua religião. Na Suíça, a tradição de montar presépios é muito antiga e profundamente enraizada, sendo então certamente justificada.

Conteúdo externo

Adaptação: Clarice Dominguez

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo