Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Não apenas um museu

Detalhe do auditório no centro Paul Klee.

(swissinfo.ch)

Da mesma forma que Klee não era apenas um pintor, o Centro construído em Berna em sua homenagem não quer ser apenas um museu.

Quer, mais do que isso, ser uma plataforma para pesquisadores, amantes da música e crianças.

O próprio nome já anuncia: não se trata de um Museu Paul Klee, mas sim de um Centro Paul Klee. Um museu de arte convencional coleciona e conserva obras de arte e as apresenta em forma de exposição. O Centro Paul Klee inclui outros gêneros de arte e parte de um conceito mais amplo de mediação.

Com uma programação que inclui concertos, peças de teatro, leituras, cursos de verão e workshops, o Centro quer possibilitar ao público um novo acesso à obra pictórica, musical, literária e pedagógica de Paul Klee. Um departamento próprio de pesquisa pretende estabelecer também um centro de competência acadêmica.

O arquiteto genovês Renzo Piano traduziu o conteúdo desta idéia na forma arquitetônica das três colinas: "A colina norte é dedicada ao músico e pedagogo Paul Klee; a colina do meio é dedicada ao pintor e poeta, e a colina sul é dedicada ao pesquisador e matemático", esclarece Piano. Uma passarela levemente elevada une as três colinas formal e abstratamente. É a passarela que faz a comunicação e a mediação entre as diversas disciplinas e expressões da arte.

Klee, artista plástico e poeta

Menina-dos-olhos do Centro Paul Klee, a coleção principal está localizada na colina do meio. Com mais de 4.000 peças, esta coleção reúne quase a metade de toda a obra de Klee, incluindo vários dos seus quadros mais famosos, obras do início da sua carreira, objetos pessoais e quadros que ele ganhou de presente de seus amigos pintores, como Wassily Kandinsky, Franz Marc ou de Alexej von Jawlensky.

Na exposição permanente, localizada no térreo, pode-se ver aproximadamente 200 obras de Klee que serão trocadas semestralmente. Como complemento da exposição permanente, o Centro Paul Klee apresenta anualmente, no piso inferior, quatro exposições especiais enfocando o ambiente histórico-cultural e artístico relacionado a Klee e a sua influência na arte até os nossos dias.

Klee, o pesquisador

Os estudos científicos sobre a obra de Paul Klee estão sediados na colina sul e baseiam-se, sobretudo, nos recursos da antiga Fundação Paul Klee, que desde a sua criação, há mais de 50 anos, desempenhou um papel fundamental como centro de pesquisa.

Em novembro passado, a Fundação Paul Klee transferiu-se do Museu de Arte de Berna para o novo prédio do Centro Paul Klee, levando toda a equipe de pesquisadores, banco de dados, arquivos e a maior coleção de obras de Paul Klee do mundo, passando assim a integrar a Fundação Centro Paul Klee. O Departamento de Pesquisa tem por objetivo ampliar os conhecimentos sobre Klee e fazer com que estes conhecimentos sejam divulgados para um público mais amplo através das outras áreas do Centro Paul Klee.

Klee, o músico

O ponto alto do Departamento de Música do Centro Paul Klee é a grande sala de concertos no subsolo da colina norte. Ali será estabelecida a ligação entre as artes plásticas e a música. Klee não foi apenas um excelente violinista, a música foi também um dos elementos fundamentais que influenciaram o seu pensamento artístico.

O Departamento de Música do Centro Paul Klee dispõe de um amplo arquivo, catalogado cientificamente, com mais de 250 partituras e aproximadamente 170 registros sonoros de composições que estão relacionadas à obra de Klee ou que foram por ela inspiradas.

Um grupo de sete músicos apresenta as referências musicais presentes nas obras de Klee inserindo-as no contexto cronológico de sua produção. Haverá concertos de música na sala de concertos e também 'concertos-relâmpago’, com 20 minutos de duração, realizados em vários locais do Centro.

Klee, o pedagogo

Em cima da Sala de Concertos está localizado o Museu Infantil Creaviva, administrado independentemente e com um orçamento próprio. A idéia básica do museu infantil é aplicar os conceitos didáticos de Paul Klee, desenvolvidos durante o período em que trabalhou como professor.

Como outros artistas de seu tempo, Klee via nos desenhos infantis a origem da arte, antes de ela passar pelo estranhamento da tradição acadêmica.

O Museu Creaviva é uma atração para crianças dos 4 aos 99 anos de idade. Em três ateliês é possível pôr a mão na massa e dar asas à imaginação.

Klee, o bernense

As três colinas de Piano estão localizadas entre o centro da cidade de Berna, onde Klee freqüentou a escola, o monte Ostermundigen, em cujas pedreiras Klee realizou obras importantes, e o cemitério Schosshalden, onde Klee está enterrado. Em toda essa região, foram colocadas várias referências a Paul Klee.

As placas 'Caminhos para Klee’ conduzem os pedestres do centro da cidade ao Centro Paul Klee e às pedreiras de Ostermundigen. Na área mais próxima ao Centro existe uma rede de caminhos com nomes de obras de Klee. O próprio endereço do Centro foi retirado de uma aquarela chamada "Monumento em terra de frutas ".

Ao norte, o parque das três colinas se estende até o cemitério Schosshalden, onde Klee está enterrado. O seu túmulo foi transferido recentemente para mais perto do portão de entrada do Centro. Os caminhos 'Castelo no Ar’ e 'Tapete de Recordações’ circundam o local do seu último descanso.

swissinfo, Nicole Aeby
tradução de Fabiana Macchi

Fatos

A construção do Centro Paul Klee custou 105 milhões de francos suíços (US$ 85 milhões)
A obra foi financiada pela Fundação Maurice E. e Martha Müller.
O funcionamento do museu é mantido pelos cofres públicos.
Os custos anuais são calculados em 10 milhões de francos.
50% é pago pela prefeitura de Berna, 39% pelo cantão e 11% por uma associação cultural.
O centro espera receber no seu primeiro ano de funcionamento até 175 mil visitantes.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×