Polícia de Genebra treina águias antidrones

Dois filhotes de águia estão sendo treinados por um falcoeiro para aprender a interceptar veículos aéreos não tripulados indesejáveis (UAVs).

Este conteúdo foi publicado em 27. fevereiro 2018 - 12:30
SDA-ATS
A polícia holandesa acabou abandonando o programa de águia antidrone , pois as aves não obedeciam às ordens Keystone

A polícia de Genebra confirmou a informação publicada no jornal Le Matin Dimanche no domingo, mas advertiu que não havia garantias de que essa abordagem possa realmente dar certo.

As duas águias devem estar operacionais este ano, disse Silvain Guillaume-Gentil, porta-voz da polícia de Genebra. Ele acrescentou que a águia é um animal selvagem, o treinamento é longo e tedioso, e os resultados não são previsíveis.

Alguns meses atrás, a polícia de Genebra adquiriu dois ovos de águia com a ideia de integrar as aves na força policial de Genebra para interceptar drones.

Projetos similares foram lançados em outros lugares, mas ainda não foram testados em situações reais. O exército francês está treinando águias reais para este propósito, mas a polícia holandesa recentemente abandonou seu programa de águia antidrone depois das aves terem desobedecido às ordens repetidamente.

Drones na força policial

O uso de UAVs foi recentemente recomendado pelo grupo de trabalho ad hoc criado na Conferência dos Comandantes de Polícia Cantonal (CCPCS). No futuro, os drones poderiam ser usados "assim como veículos ou helicópteros", disse um porta-voz ao jornal SonntagsZeitung. 

Dez forças policiais já estão usando os aparelhos para monitorar acidentes ou procurar pessoas desaparecidas na Suíça. Outros cantões estão avaliando a possibilidade de adquirir esse equipamento no futuro próximo.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo