Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Novo presidente aponta desafios

O mandato de Kaspar Villiger vai até 31 de dezembro

(swissinfo.ch)

O novo presidente da Suíça, Kaspar Villiger, assumiu dia 1° de janeiro por um ano, insistindo na necessidade de o país aderir à ONU, de restabelecer a confiança e enfrentar desafios da atualidade.

« Temos todo o interesse em fazer respeitar os direitos humanos, em desativar os conflitos, combater a fome e impedir prejuízos ao meio ambiente », declarou o presidente Kaspar Villiger no tradicional discurso ao rádio e televisão. E realçou que se trata de programa aplicado pelas Nações Unidas.

Lembrou também que a Suíça já é membro das organizações afiliadas, destacando ser a hora de o país exercer influência na ONU. « Enquanto certas regiões do mundo foram atingidas pela guerra, a pobreza, a fome, e a falta de perspectivas, o solo será fértil para os fluxos migratórios e o terrorismo ».

Um "sim" à ONU

E as conseqüências desses fenômenos não poupam a Suíça, destacando que os ataques terroristas, nos Estados Unidos em setembro revelaram quanto o sistema global se tornou vulnerável. "Por isso, devemos participar ativamente na solução de problemas que se apresentam à comunidade internacional". Evidentemente, disse Villiger, a ONU "está longe de ser irrepreensível", mas se trata da única entidade mundial que se dedica a resolver esses problemas.

Em seu discurso, Kaspar Villiger - atual ministro de Finanças num governo colegiado de 7 ministros que exercem em rodízio o cargo de presidente - aproveitou-se da ocasião para conclamar os eleitores a aprovarem a adesão da Suíça às Nações Unidas, em votações previstas para março.

"Não é hora de resignação"

Em relação a outros países, o novo presidente estima que a Suíça vai bem. "No entanto, noto aqui e acolá uma certa insegurança", admitiu. O crescimento econômico enfraqueceu e para muitas pessoas, as mudanças atuais são excessivamente rápidas.

Insistiu também que se "os dramas dos últimos meses (falência da Swissair, ataque armado no parlamento regional de Zug, centro, com 15 mortos, incêndio no túnel de São Gotardo, com 11 mortos, mais a tragédia nos EUA) nos abalaram, não é hora de resignação", é preciso cortar o mal pela raiz, ou seja adaptando as estruturas do Estado e da economia às novas circunstâncias.

Expo 02 e coesão nacional

Referindo-se a Exposição Nacional (Expo 02), que começa em meados de maio e termina em outubro, frisou que o evento de tornar-se um local de encontro entre os visitantes, da Suíça e do exterior, mas também "um local de encontro com nossa história, nosso futuro, nossa cultura".

Referindo-se a constante necessidade de fortalecer a coesão nacional, o novo presidente suíço apelou ao respeito das minorias, ao equilíbrio social, ao senso cívico, à solidariedade e à democracia direta.

Kaspar Villiger, é ministro desde 1989. É a segunda vez que exerce a presidência do país. A primeira foi em 1995.

Em recente sondagem, foi apontado como o ministro mais popular da Suíça.

swissinfo.


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×