Navigation

Novo presidente quer uma Suíça aberta

Moritz Leuenberger discursando em 1° de janeiro de 2001. Keystone

Moritz Leuenberger, 54 anos, assume a presidência da Suíça por um ano, conforme o sistema rotativo entre os 7 ministros que governam o país. Tem como desafios abrir a Suíça à Europa e ao mundo e retocar sua imagem...

Este conteúdo foi publicado em 01. janeiro 2001 - 13:58

Moritz Leuenberger, faz parte do governo há 5 anos, na função de ministro dos Transportes, Energia e Comunicações. Representante do Partido Socialista, mas tido como muito pragmático, é considerado verdadeira raposa em política. Traz também a marca de intelectual e de representante da elite de Zurique, um dos grandes centros financeiros da Europa.

Uma das tarefas mais árduas do novo presidente é continuar a retocar a imagem da Suíça, arranhada principalmente com a questão de contas inativas de vítimas do nazismo na segunda metade da década noventa.

Deverá também mostrar o que o país tem realizado no combate à lavagem de dinheiro em instituições financeiras suíças freqüentemente denunciadas como refúgio de dinheiro público estrangeiro.

Nesse ponto, o novo presidente diz dar pouca importância à questão da promoção da imagem. Acha ser mais importante "concentrar-se no conteúdo". Diz preocupar-se com "uma Suíça solidária com a Europa e o resto do mundo, em particular os países em desenvolvimento". E realça: "queremos uma Suíça que não seja utilizada para lavar dinheiro sujo ou para outras operações fraudulentas".

Nas suas complicadas relações com a União Européia, de que não faz parte, o presidente Leuenberger deve acompanhar aplicação de acordos de aproximação e integração, em particular os que dizem respeito à livre circulação de pessoas.

Deve procurar também ditar o ritmo da adesão do país sobre o qual os eleitores já votam em março, mas que o governo quer ativar somente em 2004.

Outra preocupação é preparar voto do povo a adesão da Suíça à ONU. A Suíça e o Vaticano são os únicos países fora da Organização das Nações Unidas.

swissinfo com agências.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?