Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

O paraíso fiscal suíço

Centro comercial na zona pedestre de Zug

(Keystone Archive)

O estado de Zug tem 100 mil habitantes e 18 mil empresas registradas. O "milagre" é devido aos menores impostos do país para pessoas físicas e jurídicas. Muitas empresas têm apenas uma caixa postal e negociam o percentual do imposto antes de instalar-se na região. O caso mais famoso é o de um empresário com dupla nacionalidade, condenado a 325 anos de prisão nos EUA e agraciado por Bill Clinton.

Zug é um dos menores entre os 26 estados suíços, com ar pacato e paisagem idílica à beira de um lago. Mas não é por isso que 18 mil empresas têm registro do comércio em Zug, entre elas várias multinacionais, principalmente no setor de matérias primas.

Pessoas físicas e jurídicas

Antes de se implantarem em Zug, as empresas negociam um percentual de imposto. Empresas suíças também têm a mesma regalia. Com isso, o estado tem uma arrecação fiscal invejável por outras regiões e pode também manter a menor taxa de impostos para as pessoas físicas.

Um cidadão que ganha, por exemplo, 100 mil francos suíços por ano, paga 8.545 francos de imposto em Zug e 16.731 em Lausanne. Zug também é um dos três estados suíços que não cobra imposto sobre heranças.

O caso Rich

A tradicional discreção em matéria de negócios foi rompida nos últimos anos por um dos seus ilustres moradores. Marc Rich, milionário do comércio de petróleo, instalou sua empresa em Zug em 1983, quando começou a ter problemas com o fisco americano.

Devia 48 milhões de dólares de impostos e foi condenado, à revelia, a 325 anos de prisão. Sua ex-esposa, Denise Rich, apareceu na lista de doadores do Partido Democrata americano, com a soma de 1 milhão de dólares.

Nos últimos dias de seu mandato presidencial, Bill Clinton agraciou algumas pessoas condenadas pela Justiça americana. O nome de Marc Rich constava da lista.

swissinfo com agências

×