Navigation

Onu perde luta contra a pobreza

Há 49 "países mais pobres", 33 na África. Há 49 "países mais pobres", 33 na África.

Realiza-se em Bruxelas a 3a. Conferência da ONU sobre os Países Menos Avançados, PMA, (ou os 49 mais pobres). Suíça insiste que a comunidade internacional se deva envolver mais para reverter uma situação que só se tem agravado nas três últimas décadas.

Este conteúdo foi publicado em 14. maio 2001 - 13:07

No jargão das Nações Unidas, PMA designa países "estruturalmente entravados em seu desenvolvimento". Em outros termos: os rendimentos são poucos, a qualidade de vida deixa a desejar e a economia é fraca. Em conseqüência os habitantes dispõem de menos de 2 dólares por dia para viver.

Sinal de que o combate da ONU contra pobreza tem fracassado é que, em 1971, havia 25 "países mais pobres". A cifra saltou agora para 49 (33 da África, 1 no Caribe - Haiti - e os restantes na região Ásia-Pacífico). Eles já representam 10 por cento da população do planeta, mas participam de apenas meio por cento do comércio mundial.

Esse fracasso tem várias explicações. Os "países menos avançados" recebem percentagem derisória de 0,5% de investimentos estrangeiros diretos. E contrariamente aos compromissos assumidos pela ONU em 1990, a ajuda pública ao desenvolvimento caiu, representando 0,05 dos PNB reunidos da OCDE (Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômico).

Um sério obstáculo ao progresso é o peso da dívida externa. Mas há fatores internos importantes, como a instabilidade, distúrbios civis, intolerância, má gestão, corrupção...

Acrescem outros problemas como o fato de a maioria dos países pobres ter apenas matérias-primas a vender e os cursos nos últimos anos de produtos como café e cacau têm baixado. Uma solução proposta por Rubens Ricúpero, secretário geral da UNCTAD (Conf. das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento) é "diversificar a produção e receber investimentos".

A Suíça deseja reverter a situação nos países pobres apelando ao despertar da vontade política de fazer alguma coisa. Segundo realça Jean-François Giovannini, diretor adjunto da Divisão de Desenvolvimento e Cooperação, DDC (organismo governamental) "a comunidade internacional deve fazer um esforço muito mais substancial".

Termina domingo, 18 de maio, na capital belga, essa Terceira Conferência da ONU sobre os Países Menos Avançados. As 2 outras foram em 1981 1990.

swissinfo com agências.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?