Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Os sons das feiras Quando a praça do parlamento se transforma em feira

A grande praça em frente ao parlamento em Berna se transforma duas vezes por semana em uma feira. Lá você pode encontrar de tudo: chucrute de Gurbetal, queijo Vacherin de Friburgo, pão de fornos a lenha e presunto local. Às vezes, um membro do governo dá uma escapadinha lá para comprar uma maçã.

A Bundesplatz, na capital federal suíça, é um importante ponto de encontro na cidade velha de Berna, classificada como patrimônio mundial da UNESCO. É o local de comemorações, como quando o clube de futebol bernense BSC Young Boys se tornou campeão suíço, manifestações políticas e recepções do Estado com uma guarda de honra.

Há mais de 130 anos, uma grande feiraLink externo semanal acontece aqui todas as terças e sábados de manhã, atraindo centenas de visitantes, dependendo do clima e da estação do ano.

Além dos moradores locais, os clientes regulares também incluem muitos parlamentares. De tempos em tempos, até um conselheiro federal vem pessoalmente comprar uma maçã para o intervalo. E, claro, o cenário atrai turistas de todo o mundo.

"Olá, como posso ajudá-lo?"

Na era das compras pela internet, os clientes apreciam o contato pessoal com os produtores, e frequentemente ficam conversando sobre Deus e o mundo. No verão, há 41 produtores vendendo seus produtos - da grande banca de verduras com quatro vendedoras, ao italiano que vende suas iguarias mediterrâneas em um suporte simples sob um guarda-sol ou uma lona plástica.

Um dos vendedores é o agricultor Walter Stettler, que administra uma fazenda com sua esposa e filho, a nove quilômetros da cidade. Eles cultivam frutas e criam vacas, ovelhas e cavalos.

A família vive exclusivamente de vendas diretas em feiras semanais e em sua fazendinha. Em um sábado ensolarado, eles conseguem vender até 700 kg de maçãs na Bundesplatz. Além do tempo, o dia de pagamento é um fator decisivo para determinar se um dia de feira é bom ou ruim. "Se os clientes já têm seu pagamento no banco, eles compram muito mais e pagam com grandes notas em vez de pequenos trocados", conta Stettler.

O Projeto ‘The Sounds of...’

swissinfo.ch e suas parceiras colaboram para trazer a nossos leitores paisagens sonoras e imagens de locais similares em cada país: Radio Canada InternationalLink externoPolskie RadioLink externo (Polônia), Radio PrahaLink externo (Rep. Tcheca) e Radio Romania InternationalLink externo (Romênia).

Aqui termina o infobox

Hala Mirowska é um dos maiores mercados de Varsóvia. Foi construído no início do século XX. O edifício foi bombardeado durante a Revolta de Varsóvia em 1944. Reconstruído nos anos 50, foi restaurado à sua função original como mercado e é agora um local onde diferentes gerações se encontram. É também um local popular para os turistas, que vêm aqui para procurar produtos poloneses tradicionais e regionais, como chucrute, beterraba, creme azedo, cogumelos, mel, ervas frescas, queijo defumado e salsicha. O mercado tem também um salão moderno chique, mas o verdadeiro charme só pode ser encontrado na área antiga do mercado.


A uma curta distância do centro da cidade, o aterro Rašínovo nábřeží, em Praga, fica repleto de amantes de produtos locais frescos aos sábados. A atmosfera das feiras, com suas degustações, barracas e muitas vezes música, atrai moradores e turistas. Nos últimos anos, o número de feiras aumentou de forma constante e agora há mais de 20 por semana na capital tcheca. Isso significa um renascimento das vendas de alimentos frescos de produtores regionais, que foram interrompidos à força durante o período comunista. 


O mercado “Matache Măcelaru” fica a uma curta distância da principal estação ferroviária de Bucareste, no cruzamento entre a Calea Griviței e a Calea Buzești, o local favorito dos comerciantes no final do século XIX. Um deles era o açougueiro Loloescu Matache. Ele começou a fazer negócios após a Guerra da Independência da Romênia, por volta de 1879, quando começou a construir o famoso salão de Matache, que foi recentemente demolido. Naquela época, o mercado ficava localizado nos arredores de Bucareste. Em 1948, tornou-se o mercado estatal "Ilie Pintilie", em homenagem a um ex-líder comunista romeno. O principal mercado do distrito “Drumul Taberei” de Bucareste também por muito tempo teve o nome de outro político comunista, Alexandru Moghioroş. Mas logo após a queda do comunismo, ele foi rebatizado com o nome do famoso maestro romeno Sergiu Celibidache, e ainda é o mercado preferido da população local.


O Jean Talon Market, fundado em Montreal em 1933 e batizado em homenagem ao primeiro governador da Nova França, é um dos maiores mercados da América do Norte. Ele fica aberto durante as quatro estações do ano. Seus visitantes - mais de 2,5 milhões em 2018, incluindo turistas - compram frutas, verduras, hortaliças, ervas e flores de agricultores locais, cujas fazendas geralmente ficam a 50 km do mercado.

Localizado no bairro de Little Italy, este mercado multicultural é famoso pela riqueza de produtos orgânicos e produtos regionais da província do Quebec.

Essas "cenas da vida" foram capturadas entre o final do verão e o natal de 2018.


Adaptação: Fernando Hirschy

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.