Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Ovomaltine não é mais suíço

(swissinfo.ch)

A mais antiga marca suíça acaba de ser vendida. Ovomaltine pertencia à Novartis, que resolveu vender seu setor de nutrição para se concentrar no setor médico.

As duas marcas e as fábricas foram vendidas ao grupo britânico Associated British Foods (ABF) por 272,5 milhões de euros.

As marcas Ovomaltine, Caotina e Lacovo pertenciam ao setor bebidas da divisão de nutrição da Novartis, gigante suíço do setor químico-farmacêutico.

Em fevereiro, em Basiléia (noroeste da Suíça), a Novartis havia colocado à venda seu setor nutrição, composto de bebidas e cereais, para se concentrar somente no setor médico. A nutrição corresponde a menos de 3% do faturamento da Novartis.

Produto foi lançado em 1904

O primeiro negócio, portanto, foi a venda das bebidas, fechado com a britânica Associated British Foods (ABS) por 272,5 milhões de euros (366 milhões de francos suíços). Falta ainda negociar o setor de dietética (cereais) e produtos destinados a esportistas em que a Nestlé está interessada.

O Ovomaltine é um verdadeiro mito na Suíça. O produto foi criado em 1865, em Berna, à base malt de cevada, por um médico preocupado com a subnutrição dos suíços.

Posteriomente, o sabor foi melhorado, acrescentanto leite, cacao e ovos.

Lançado no mercado suíço em 1904, o sucesso foi tal que, dois anos depois o Ovomaltine já era exportado para Inglaterra e Itália e, depois, para o mundo inteiro.

História se repete

A empresa Wander, do nome do médico que o criou, foi pioneira no patrocínio de eventos esportivos desde 1923. A embalagem em envelopes com doses individuais de Ovomaltine começou a ser distribuida em bares e restaurante em 1931.

Mas a Wander quis se concentrar em pesquisas médicas e vendeu a Ovomaltine para a Sandoz, em 1967. A Sandoz se associou à Ciba-Geigy formando a Novartis e a história se repete porque a Novartis vende a Ovomaltine pela mesma razão.

Para toda a Europa, o Ovomaltine é produzido em uma fábrica perto de Berna, que tem 240 funcionários e processa 9 mil toneladas de extrato de malt e 4,5 milhões de litros de leite. O britânicos que comprara a Ovomaltine garantem que a proução será mantida na Suíça.

swissinfo/Claudinê Gonçalves

×