Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

País tem plano para crise alimentar

(swissinfo.ch)

Mesmo em caso de guerra, catástrofe nuclear, mal da vaca louca ou febre aftosa, os suíços não vão morrer de fome. A Divisão Federal de Abastecimento Econômico tem um plano para garantir, no mínimo, 2.300 calores e 2,5 litros de água potável, por dia, para cada cidadão.

A comida também é uma questão estratégica na Suíça. Apesar de ter sido neutra nos dois conflitos mundiais, houve racionamento alimentar na Segunda Guerra e o trigo substituiu as flores em muitos jardins das grandes cidades, nesse período.

Os velhos reflexos também estão presentes na população e, embora não necessitem, todos cultivam o mínimo espaço de terra de que dispõem. Muitas prefeituras alugam terrenos para hortas, por preços simbólicos.

800 milhões passam fome

Durante décadas, a agricultura suíça foi altamente subvencionada pela mesma razão. Essa política vem sendo gradativamente substituída pelos incentivos diretos ao produtor, depois da assinatura dos acordos da OMC, Organização Mundial do Comércio, em Genebra.

Mesmo assim, a produção interna ainda cobre dois terços das necessidades alimentares do país, como confirmou quinta-feira (09.8), Gerold Loetscher, da Divisão Federal do Abastecimento Econômico, em Berna.

Cerca de 800 milhões de pessoas no mundo estão ameaçadas pela fome e a situação poderia agravar-se em caso de perturbação no transporte internacional, devido a descentralização mundial da produção atual. Isso ocorreria, por exemplo, em caso de guerra.

Calorias e água potável

Loetscher apresentou quinta-feira a estratégia para garantir o abastecimento alimentar na Suíça, em caso de crise grave. Os riscos de uma grande guerra são menores atualmente mas também considera-se as hipóteses de um acidente nuclear como em Tchernobyl ou epidemias como o mal da vaca louco ou a febre aftosa.

Se o plano funcionar, cada cidadão teria garantidos 2,5 litros de água potável e 2.300 calorias por dia. O Estado seria responsável pela distribuição equitável para todos.

Além da produção interna, a cooperação internacional também está prevista, inclusive com planos alternativos de transporte por trem, avião, estradas, rios e lagos.

Outro fator indispensável são os estoques de alimentos de base, para garantir a sobrevivência. Esses produtos são os que as pessoas sempre procuram em situação de crise: cereais, arroz, açucar, café, óleo e gorduras, capazes de cobrir cerca de um terço das necessidades nutricionais.

swissinfo com agências

×