Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Pedras ameaçam o túnel do Gotthard

Dois turistas alemães morreram embaixo da pedra caída na auto-estrada A2.

(Keystone)

Um dos mais importantes eixos rodoviários do sul da Europa, a auto-estrada A2 e o túnel do Gotthard, deve ficar bloqueado por várias semanas devido ao risco de avalanches.

Gigantescos blocos de pedra deslizaram das montanhas e caíram sobre a estrada. Um carro foi atingido e logo depois pegou fogo, matando dois turistas alemães.

A tragédia ocorreu em 31 de maio, por volta das sete horas da manhã. Uma avalanche de pedras desceu de uma das montanhas do maciço do Gotthard, muito provavelmente devido às fortes chuvas caídas nas últimas semanas de maio, e caiu num trecho da auto-estrada A2 próximo à entrada do túnel com o mesmo nome.

Nesse momento passavam diversos veículos. Um deles foi atingido por um gigantesco bloco de granito e pegou fogo. Os dois ocupantes, dois turistas alemães que estavam viajando em direção à Itália, morreram no local.

Fotos tiradas de helicópteros mostram que centenas de pedras ainda estão soltas e podem cair a qualquer momento na estrada. No sábado (3 de junho), outro bloco de granito deslizou e só foi parar a poucos metros do asfalto.

A auto-estrada A2 e o túnel do Gotthard, no cantão de Uri, correspondem a um dos mais importantes eixos rodoviários do sul da Europa. No local, os especialistas chegaram à conclusão que a única solução é a implosão de parte das rochas. A ação deve ocorrer o mais rápido possível, para que o tráfego provocado pelo início das férias de verão não seja prejudicado. A polícia cantonal acredita que pelo menos três semanas serão necessárias para liberar o tráfego na A2 e no túnel. Até estão, elas permanecerão fechadas.

Além da implosão das rochas, as autoridades suíças também querem aumentar o muro de proteção na encosta da auto-estrada. Os trabalhos de reformam só ficarão prontos em cinco meses.

Áreas de risco

A primeira avalanche de pedras provocou gigantescos congestionamentos. Outros desfiladeiros, que ainda poderiam ter sido utilizados como desvio para os carros e caminhões nessa rota, ainda estavam fechadas até semana passada devido às baixas temperaturas. Estas provocaram quedas de neve, algo incomum para essa época do ano.

Frente aos problemas de trânsito, a melhor alternativa para os viajantes que estão se dirigindo ao sul da Europa é o trem. Nesse sentido, a Companhia Suíça de Trens (Schweizerischen Bundesbahnen - SBB) colocou mais vagões à disposição dos passageiros.

Entre Amsteg e Göschenen, duas localidades no maciço do Gotthard, técnicos identificaram 50 pontos de risco para a auto-estrada A2. A maior parte das rochas que estão para se desprender da montanha pesa até três toneladas, porém algumas chegariam até 15 toneladas. Mesmo a implosão das pedras não acabaria com o risco de avalanches na área, já que muitas delas ainda estão fixas e não se vêem as fissuras que elas apresentam.

swissinfo com agências

Breves

A auto-estrada A2 e os 17 quilômetros do túnel do Gotthard correspondem ao mais importante eixo de ligação entre o norte e sul da Europa, atravessando os Alpes suíços.

O risco de avalanches e desmoronamentos ainda é grande nas montanhas próximas à auto-estrada A2.

O fechamento da A2 obriga os motoristas em viagem à Itália utilizar a rota pelo passe de São Bernardino. Outras alternativas são os desfiladeiros de Lukmanier, Julier, Maloja, Simplon e o Grosser St. Bernhard, assim como através do túnel do Mont-Blanc.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.