Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Pegadas de dinossauros podem mudar teoria

Christian Meyer com uma miniatura de iguanodonte

(Keystone)

200 pegadas de uma espécie herbívora foram descobertas recentemente perto do lago de Lucerna. Até agora, admitia-se que o tipo de rocha do local teria sido formado únicamente dentro d'água mas os traços de dinossauros indicam que não.

Geógrafos e geólogos tinham como certo que as rochas da região estavam totalmente submersas 110 milhões de anos atrás. A descoberta das pegadas no estado de Nidewalden "mostra que pelo menos parte dessas rochas não estava submersa", afirma o peleontólogo Christian Meyer, diretor do Museu de História Natural de Basiléia e reponsável das pesquisas.

Pesquisas vão prosseguir

As 200 pegadas encontradas casualmente por um geólogo de Lucerna que praticava montanhismo, datam do período cretáceo e estão dispersas numa área de aproximadamente 30m2. Pertencem a dinaussauros herbívoros chamados iguanodontes, cuja espécie foi extinta há aproximadamente 65 milhões de anos.

Traços e fósseis de iguanodontes eram conhecidos na Inglaterra, Bélgica e França mas essa é a primeira descoberta na Suíça. "Vamos prosseguir as pesquisas nas vizinhanças e talvez descubramos traços de outros dinaussauros", afirma Cristian Meyer.

Os iguanodontes viviam em manadas e cada animal podia ter entre 80 e 120 anos de vida, segundo os estudos feitos com fósseis. Locomoviam-se com as patas trazeiras ou com as 4 patas e tinham de 5 a 7 metros de comprimento.

Vincent Landon


Links

×