Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

PIB suíço tem maior queda desde 1992

Sinais de estagnação na Suíça, mas a situação de outros países é ainda pior.

(Keystone)

A economia suíça sente um efeito retardado e forte da crise econômica. No primeiro trimestre de 2009, o Produto Interno Bruto real do país caiu 0,8% em relação ao último trimestre do ano passado.

Trata-se da terceira queda trimestral consecutiva e da maior desde 1992. Em relação a primeiro trimestre de 2008, o recuo foi de 2,4%, o maior desde 1976, mas em comparação com outros países a Suíça ainda vai bem.

De acordo com dados divulgados nesta terça-feira (2/6) pela Secretaria Federal de Economia (Seco), as exportações de mercadorias e serviços caíram 5,4% desde o último trimestre do ano passado, quando a crise já afetava todos os setores da economia suíça.

As importações permaneceram no mesmo nível do quarto trimestre de 2008. O consumo interno também continuou diminuindo, fato raro nos últimos anos no país. O consumo privado, responsável por 60% do PIB, praticamente estagnou – o aumento foi de apenas 0,1% em relação ao trimestre anterior. Em compensação, o aumento dos gastos públicos de 4,6% teve um efeito estabilizador.

Na opinião do diretor de política econômica da Seco, Aymo Brunetti, a Suíça foi atingida com atraso, mas em cheio pela crise. "A conjuntura interna ainda é um pouco mais estável do que em outros países. A médio prazo, porém, ela não conseguirá escapar do declínio da conjuntura mundial", disse.

Melhor do que o esperado



Segundo Brunetti, a queda do PIB no primeiro trimestre era esperada. "É uma queda forte na comparação de longo prazo na Suíça, mas a economia de outros países encolheu ainda mais no mesmo período", declarou.

Segundo uma sondagem da agência de notícias AP, a avaliação dos economistas sobre o desempenho da economia suíça oscila entre "melhor do que o esperado" e "assustadoramente fraco". Isso depende da comparação com o primeiro ou o quarto trimestre de 2008.

Economistas dos bancos haviam previsto em média um recuo de 1,6% em relação ao último trimestre. A variação anual (2,4%) foi superior à média prevista pelos analistas (1,8%). É a maior queda desde o primeiro trimestre de 1976, quando o PIB tinha recuado 6,2%.

"Pode-se esperar uma nova queda no segundo trimestre", disse um analista do Banco Cantonal de Zurique citado pela agência de notícias econômicas Bloomberg. "A recuperação não deverá ocorrer antes do final de 2009."

Novo pacote econômico



Segundo o economista-chefe da União Sindical Suíça, Daniel Lampart, um terceiro pacote de apoio à economia é mais do que urgente. "A queda de 2,4% é assustadora e sem precedentes desde o início dos anos de 1980."

Até agora, o governo suíço investiu cerca de 1 bilhão de francos em medidas de estímulo à economia. Lampart disse que muitas firmas produziram para os estoques no primeiro trimestre. Sem esse efeito, os números teriam sido piores. "Estamos numa grave crise", disse.

Na opinião do presidente do Partido Social Democrata, Christian Levrat, ocorreu o pior caso possível. "O Conselho Federal (Executivo) precisa amarrar imediatamente um grande pacote conjuntural", disse em um comunicado do partido.

swissinfo (com agências)

Bola de cristal

Confira as previsões do economistas para o PIB suíço neste e no próximo ano:

Seco: –2,2 % (março de 2009)

Banco Nacional Suíço: –2,5 a –3% (março 2009)

UBS - gestão de fortunas: –8% (março de 2009)

UBS - banco de investimento: –2,4% (abril de 2009)

Credit Suisse: –2,0% (março de 2009)

KOF: –2,4% (março de 2009)

BAK Basel Economics: –2,1% (março de 2009)

Créa: –3,2% (março de 2009)

Business Economists' Consensus: –1,4% (março de 2009)

FMI: –3,0% (abril de 2009)

OCDE: –0,2 (novembro de 2008)

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×

Destaque