Navigation

Pilotos europeus da Swiss estão em greve

A greve obrigou a compnhia a anular 34 vôos europeus Keystone Archive

Os pilotos da companhia aérea Swiss que operam as aeronaves Avro, na Europa, estão entraram em greve, terça-feira (26). Metade dos vôos europeus da Swiss são afetados.

Este conteúdo foi publicado em 26. setembro 2006 - 10:54

O sindicato Swiss Pilots fixaram um ultimato à direção da Swiss para a noite de segunda-feira. Os pilotos reinvindicam condições de trabalho similares às dos demais pilotos da companhia.

A greve dos pilotos das aeronaves de tipo Avro (mais conhecidas como Jumbolino), obrigou a Swiss a suprimir 34 vôos europeus, principalmente partindo de Zurique.

Isso corresponde à metade dos vôos da Swiss na Europa. Os jumbolinos constituem metade da frota da companhia, ou seja, 24 aparelhos. Os outros 50% são Airbus A320 e operam normalmente porque seus pilotos não participam da greve.

Mais de 100 pilotos, entre 210, entraram em greve, prevista só por um dia mas que ser prologada, se as reinvindicações não forem atentidas.

Segunda-feira à noite (25), a Associação dos Pilotos Swiss (SPA), lançou um apelo de greve a todos os pilotos de Avro. O movimento começou terça-feira, às 05h30.

A decisão da greve foi tomada dia 22 de setembro por 83% dos pilotos Avro. Um mês atrás, eles havia recusado a greve.

Por uma convenção coletiva

O objetivo do SPA é negociar por seus membros uma convenção coletiva de trabalho (CCT), que substitua os contratos individuais em vigor desde 1° de abril último. A companhia alega que as condições reivindicadas não lher permitiriam a rentabilidade de seu parque aéreo.

Um projeto de CCT redigido em comum pela Swiss European e SPA foi apresentado aos membros do sindicato em março. A maioria dos membros votou a favor mas não atingida a maioria de dois terços, necessária para a aprovação.

Posteriormente, a direção de Swiss propôs aos pilotos constratos de trabalho individuais em condições julgadas "conformes ao mercado" pela companhia.

swissinfo com agências

Fatos

A companhia abriu uma linha telefônia para informar seus passageiros: +41 (0) 44/ 564 17 47.

End of insertion

Breves

- Agosto de 2005: seis meses de ser adquirida pela alemã Lufthansa, Swiss reestrutura sua frota regional (da antiga companhia suíça Crossair).

- Outubro de 2005: Swiss cria a filial Swiss European.

- Dezembro de 2005: Swiss e os pilotos regionais concordam em abrir negociações sobre uma nova convenção coletiva de trabalho.

- Março de 2006: os pilotos aprovam o acordo negociado entre Swiss e o Sindicato Swiss Pilots, com salários inferiores.

- Início de maio: o sindicato anuncia que descobriu uma manipulação da votação. O sindicato pede uma nova votação mas a direção da companhia recusa.

- Sem convenção coletiva, desde o início de abril, os pilotos assinaram contratos individuais, em condições inferiores às dos demais pilotos que operam os vôos intercontinentais e que provém da antiga companhia Swissair.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?