Poesia, a conexão humanizante

Jusef Selman define-se a si mesmo de modo bem simples: "Não sou realmente árabe ou suíço, sou um ser humano."

Este conteúdo foi publicado em 12. julho 2020 - 12:41
SRF

A família Selman fugiu do Iraque para o cantão suíço de Thurgau em 2000. Pouco tempo depois nasceu Jusef. Desde pequeno ele se sentia diferente dos outros, por ser tantas vezes excluído e insultado racialmente. Jusef trata este tema nos seus textos de forma séria, mas sem esquecer o senso de humor. Ele também critica questões que afetam a sua geração e defende, acima de tudo, mais humanidade.

Partilhar este artigo