Navigation

O novo representante especial da ONU em Moçambique é um suíço

Contagem de votos na capital Maputo em 2014: a Suíça vem estreitando suas relações com a população local e as autoridades, apoiando melhorias na administração e governança do país. Keystone

O Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, nomeou Mirko Manzoni, embaixador da Suíça em Maputo, como seu enviado pessoal para Moçambique. 

Este conteúdo foi publicado em 11. julho 2019 - 14:14

Em comunicado de terça-feira, o Ministério dos Negócios Estrangeiros saudou a decisão "que reconhece o compromisso de longa data da Suíça para com a ONU e sublinha o seu papel ativo no processo de paz em curso em Moçambique". 

+ Ministério das Relações Exteriores da Suíça: MoçambiqueLink externo 

No seu novo papel, ManzoniLink externo prestará "apoio de bons ofíciosLink externo" para facilitar o diálogo entre o governo de Moçambique e a organização de resistência da guerrilha RENAMOLink externo, bem como para a assinatura e posterior implementação de um acordo de paz entre as partes. 

Manzoni é embaixador em Moçambique desde 2014. Preside igualmente ao Grupo de Contato Internacional que apoia o processo de paz em Moçambique desde fevereiro de 2017. 

"A nomeação do embaixador Manzoni reconhece a competência de mediação da Suíça e reflete a apreciação da sua contribuição para a paz e a segurança", disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros.


​​​​​​​

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo