Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Dupla nacionalidade Suspeitos de terrorismo podem perder passaporte suíço

A Suíça quer retirar a cidadania suíça de um cidadão com dupla nacionalidade suspeito de integrar o grupo terrorista Estado Islâmico. Se a decisão for à frente, será a primeira vez que a lei correspondente será usada em seus 60 anos de existência.

Até agora, nenhum cidadão suíço chegou a perder sua nacionalidade

(Keystone)

A Secretaria Federal de Migrações disse que um jovem suíço-italiano de 19 anos é acusado de ter ingressado no grupo terrorista Estado Islâmico na Síria. O anúncio foi publicado na versão mais recente do seu boletim de informação oficial.

De acordo com a lei da cidadania, cidadãos com dupla nacionalidade podem ter sua nacionalidade suíça revogada se o comportamento deles tiver um efeito considerado negativo para os interesses ou a reputação do país.

O rapaz deve responder às acusações dentro de um mês.

As autoridades suíças decidiram iniciar o processo para poder negar a entrada na Suíça de um extremista que representava uma ameaça para o país.

Se o processo for adiante, essa será a primeira vez que o governo federal aplica uma lei que entrou em vigor em 1953.

O jornal 20 Minuten disse que o rapaz em questão é suspeito de ter deixado sua casa em Winterthur, no cantão de Zurique, para a Síria, em fevereiro de 2015.

Lea Wertheimer, porta-voz da Secretaria Federal, declarou à televisão pública suíça, SRF, que o suspeito é acusado de cometer "atrocidades, violações dos direitos humanos e crimes de guerra" que "representam uma ameaça para a Suíça".

Ela acrescentou não ter informações sobre o seu paradeiro. No entanto, de acordo com a SRF, que falou com o repórter de guerra Kurt Pelda, o rapaz pode ter sido morto há um ano em um ataque aéreo em Kobane, no norte da Síria.

Emigrar para o terror

O Serviço de Inteligência Federal (FIS) examina quantos suíços deixaram o país para lutar por causas jihadistas. Este ano ainda não houve nenhum caso, porém 73 já foram registrados no total.

O FIS está monitorando a atividade na mídia social de cerca de 400 terroristas potenciais. Desde o início de 2016, 12 indivíduos voltaram para a Suíça após terem se envolvido em atividades terroristas. Todos foram acusados de atividades ilegais. O Ministério Público suíço se ocupa atualmente de 60 casos desse tipo.

swissinfo.ch com agências

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.