Navigation

Skiplink navigation

Governo prevê pagar desempregados com mais de 60 anos

O governo suíço apresentou seus planos de pré-aposentadoria para trabalhadores mais velhos que não podem mais solicitar o seguro-desemprego.

Este conteúdo foi publicado em 31. outubro 2019 - 07:45
O número de pessoas entre 60 e 64 que pedem ajuda social aumentou quase 50% nos últimos cinco anos, de acordo com o Ministério do Interior Keystone/Martin Ruetschi

Segundo o ministro do Interior, Alain Berset, a proposta visa melhorar as condições de vida de pessoas com mais de 60 anos de idade. 

"No entanto, a reintegração no mercado de trabalho continua sendo uma prioridade", declarou o ministro na quarta-feira (30). 

Em resposta ao projeto apresentado pelo governo em maio, os partidos de esquerda e os sindicatos consideram essas medidas insuficientes, enquanto os grupos de centro e de direita argumentam que as condições estabelecidas pelo governo são muito brandas. 

Segundo as propostas, as únicas pessoas que poderiam solicitar o pagamento são aquelas que perderam seus empregos e não têm mais direito ao seguro-desemprego.  

Os potenciais beneficiários devem ter pago um montante mínimo à previdência durante 20 anos e ter tido um rendimento mínimo de CHF21.330 ($21.500) por ano durante pelo menos dez anos antes de apresentarem um pedido. O patrimônio pessoal de um beneficiário não pode exceder CHF 100.000. 

Pacote de seguridade social 

A pré-aposentadoria deve ser financiada pelo governo e pode custar 230 milhões de francos suíços (232 milhões de dólares) anualmente em 2030. Estima-se que 4.400 pessoas poderiam ter direito a ela, de acordo com o Ministério do Interior. 

As medidas fazem parte de uma política governamental negociada com organizações patronais e sindicatos para promover a integração dos trabalhadores suíços no mercado de trabalho. 

Estudos mostram que as pessoas mais velhas são marginalizadas em meio à pressão dos trabalhadores mais jovens de países da União Europeia que se beneficiam do acesso irrestrito ao mercado de trabalho suíço. 

O Partido Popular Suíço, de direita, reuniu assinaturas suficientes para forçar uma votação nacional sobre sua proposta de cancelar um acordo bilateral com a União Europeia sobre o acesso recíproco ao mercado de trabalho.


​​​​​​​

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo