Navigation

Suíça adia relaxamento das restrições da Covid-19

Os restaurantes e bares da Suíça permanecerão fechados após o Conselho Federal ter decidido, em 19 de março, não flexibilizar suas restrições por cauda da Covid-19. Keystone / Ennio Leanza

O governo suíço adiou os planos para aliviar as restrições do coronavírus, como era amplamente esperado. Ele citou um número crescente de casos de e um progresso insuficiente nas vacinações.

Este conteúdo foi publicado em 19. março 2021 - 15:39
SRF/SWI swissinfo.ch/Keystone--SDA/Reuters/sb

Restaurantes e bares não abrirão seus terraços ao ar livre em 22 de março. A única medida de flexibilização acordada pelo governo na sexta-feira é aumentar os limites das reuniões domésticas de 5 para 10 pessoas.

O Conselho Federal (órgão executivo) disse não ter adotado as medidas que havia estabelecido em 12 de março - que estavam sob consulta - pois "o risco de perder o controle da pandemia é grande demais para permitir um maior relaxamento".

Pressões

"Teremos que ser um pouco mais pacientes, infelizmente. Não podemos justificar outra decisão", disse o ministro da Saúde Alain Berset aos repórteres em Berna. "A situação está piorando e estamos no início de uma possível terceira onda".

Nas últimas semanas, o governo tem estado sob forte pressão dos cantões, empresas e outros grupos de interesse para aliviar as medidas do coronavírus, particularmente para os restaurantes. Mas tem enfrentado um dilema com o lento aumento do número de novas infecções desde 20 de fevereiro, como nos países vizinhos, e com a presença de variantes mais contagiosas.

Vários estudos recentes mostram que as novas variantes são mais perigosas do que as anteriores, disse Berset.

O ministro disse que a população suíça deve esperar mais "quatro semanas" e ter cuidado durante a Páscoa para evitar que a pandemia se descontrole. Os próximos passos serão decididos em 14 de abril.

"A Suíça já perdeu o controle da pandemia duas vezes durante o ano passado, não podemos cometer o mesmo erro uma terceira vez", disse o ministro da Saúde.

Relaxamento?

Em 12 de março, o governo anunciou que havia iniciado consultas sobre uma segunda fase de reabertura. Além da reabertura de áreas externas de restaurantes e bares, ele também havia proposto permitir eventos externos como jogos de futebol e shows com público de até 150 pessoas e para eventos internos em cinemas e teatros para até 50 espectadores.

O Conselho Federal foi guiado em sua última decisão por quatro indicadores-chave que já havia estabelecido anteriormente. Os valores para três deles não estão sendo cumpridos atualmente, disse ele.

A incidência de duas semanas é de 207 casos por 100.000 habitantes, a taxa de positividade é superior a 5% e a taxa de reprodução é de 1,13. Apenas a ocupação das unidades de terapia intensiva está abaixo do limite exigido. A campanha de vacinação também não está progredindo suficientemente rápido, de acordo com o governo.

Na sexta-feira, o Departamento Federal de Saúde Pública reportou 1.748 novos casos de Covid-19, um aumento de 15% em comparação com a semana anterior.

Pesquisa

De acordo com uma pesquisa recente, mais de dois em cada três residentes suíços declararam-se a favor da reabertura dos terraços dos restaurantes antes do final de março. Mas um número crescente de pessoas concorda com a administração do governo em relação à pandemia.

A primeira fase de reabertura após o último lockdown começou no início de março e incluiu lojas, museus e bibliotecas, bem como o reinício das atividades esportivas e culturais para os jovens. Escolas e muitos telesquis estão abertos, mas restaurantes e locais culturais permanecem fechados no momento.

Até agora, mais de 9.400 pessoas morreram de Covid-19 na Suíça e no vizinho Liechtenstein durante a pandemia, enquanto quase 579.000 casos foram confirmados.


Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.