Navigation

Davos será o primeiro destino internacional de Bolsonaro

Este conteúdo foi publicado em 04. janeiro 2019 - 12:24
swissinfo.ch/ets


sda-ats

O novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fará sua primeira viagem oficial internacional à Suíça, para o Fórum Econômico Mundial (WEF) em Davos. Ele confirmou sua participação no evento na quinta-feira. 

"Quero ir a Davos para participar da reunião na Suíça, que será minha primeira viagem oficial fora do Brasil", anunciou o presidente brasileiro em sua primeira entrevista à rede de televisão SBT após sua posse, em 1º de janeiro.

O WEF se reunirá em Davos de 21 a 25 de janeiro para sua conferência anual. Cerca de 3000 tomadores de decisão da política, negócios e ciência participam. O presidente dos EUA, Donald Trump, também anunciou sua presença no Fórum - mas em termos de curiosidade, Bolsonaro deve chamar mais atenção que o norte-americano, devido às suas medidas radicais de governo, marginalizando e ameaçando opositores, indígenas, negros, e comunidade LGBT, entre outros. Bolsonaro estará acompanhado de seu ministro da Fazenda, Paulo Guedes.

O líder brasileiro afirmou ainda que adiou uma intervenção médica no hospital até o final de janeiro para poder participar de Davos. A operação removerá a bolsa de colostomia que ele carrega desde o ataque à faca que lhe atingiu o intestino durante a campanha elitoral, em 6 de setembro de 2018. 

Segundo um de seus cirurgiões, Bolsonaro deve permanecer no hospital por pelo menos cinco a sete dias após a cirurgia. No geral, o tempo de recuperação é estimado em cerca de duas semanas.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.